Dicas úteis para reparar Ultrabooks Samsung Série 5

Tive alguns problemas com um Ultrabook Samsung NP530U3B-AD1BR, depois de quase 4 anos de uso.

Estava em dual boot com Windows 7 Home Premium e Mint 17.3 Rosa Cinnamon. Atualizei o Windows 7 para o 10, na oferta da Microsoft. Tudo funcionava normal, até que, depois de alguns meses,o ultrabook começou a dar defeito no hardware.

Resolvi fuçar no “trem”, mesmo sabendo que se pode piorar, vai piorar. Aos problemas de hardware, somaram-se problemas de software. Não consegui de jeito nenhum recuperar o Windows 10. Mas consegui resolver os problemas de hardware e reinstalar o Windows 7 com um disco de recuperação.

Daí estas dicas. Que podem ser úteis para algum aventureiro. Entretanto, sabe-se, cada caso é um caso. E o que aqui funcionou pode lá não funcionar… As melhores dicas de reparo encontrei no iFixit.

Ultrabook Samsung NP530U3B-AD1

Para desmontar o ultrabook há um bom tutorial em Disassembling Samsung Laptop Ultrabook NP530U3B.

Para limpar ou trocar a ventoinha, vi neste outro modelo: Samsung Series 5 UltraTouch NP540U3C Repair.

Para download de manuais, softwares, drivers e solução de problemas: o suporte da Samsung.

Para resolver problemas de inicialização, como recuperar o GRUB, o MBR: Boot-Repair (também aqui).

No meu caso, o ultrabook parou de desligar completamente e não reinicializava, mas desligava em “reiniciar”. Tanto no Windows como no Linux. Resetei o BIOS e tudo voltou ao normal: desligar a energia, interromper a bateria, desconectar a bateria CMOS, pressionar o botão de power por cerca de 1 minuto… Este vídeo, Samsung 530U3 (535U3 NP530U3 NP530U NP535U) BIOS reset, mostra como se faz.

Para habilitar o ExpressCache danificado no ultrabook com Windows 7 ou 8.1: Habilitando o recurso ExpressCache do seu Samsung Series 5 Ultra com Windows 8

O curso de hebraico foi mais uma vez atualizado

Precisei fazer algumas modificações no código das páginas onde estão os arquivos de som do curso de hebraico, o “ouvir”, pois nas versões mais recentes dos principais navegadores, o hebraico cantado, incorporado (embedded) ao html, não funcionava mais.

Agora os arquivos de som não precisam mais de plugin para funcionar. São reproduzidos de acordo com o padrão HTML5, como pode ser visto aqui.

Somente em navegadores mais antigos pode ser necessário instalar algum plugin no computador, como o QuickTime, para Windows, e, talvez, o VLC Web Plugin [browser-plugin-vlc] em computador com Linux.

Clique aqui ou aqui para fazer o download do curso de hebraico.

Morreu meu colega Francisco de Assis Correia

Morreu hoje, por volta das 3 horas, no Hospital São Francisco, em Sertãozinho, SP, aos 71 anos, meu colega padre Francisco de Assis Correia. A missa de exéquias será realizada às 15 horas, na Catedral Metropolitana de Ribeirão Preto. Em seguida ocorrerá o sepultamento em Jardinópolis, sua terra natal.

Francisco de Assis Correia em 01.02.2010 (1944-2016)

 

Chico ou Chicão, como sempre o chamamos, foi meu contemporâneo no Colégio Pio Brasileiro, em Roma. Quando comecei a graduação em Teologia, em outubro de 1970, ele estava no último ano. Estudávamos na Pontifícia Universidade Gregoriana. Foi meu diretor e colega no CEARP, onde lecionou Teologia Sistemática por muitos anos.

No Pio Brasileiro ficou célebre o chá que ele oferecia por volta das 22h00 e ao redor do qual alguns de nós nos reuníamos, após mais um dia de aulas e estudos, para uma hora de descontração.

Uma grande perda para todos nós.

 

Veja uma breve biografia de Francisco de Assis Correia na página da Arquidiocese de Ribeirão Preto.

Padre Francisco de Assis Correia nasceu em Jardinópolis (SP), aos 10 de outubro de 1944. Foram seus pais Ciniro Corrêa e Zulmira Pedro Corrêa.

Foi batizado na igreja matriz de Jardinópolis no dia 22 de outubro de 1944, pelo padre Felipe Maria Garzoni e, na mesma igreja, foi crismado por Dom Manuel da Silveira D’Elboux, segundo Bispo Diocesano de Ribeirão Preto, no dia 22 de setembro de 1946. Nesta mesma igreja fez a 1a Eucaristia, no dia 12 de junho de 1952.

Fez o curso primário no Grupo Escolar Américo Sales Oliveira (1952-1956)

Ingressou no Seminário Diocesano Maria Imaculada, em Ribeirão Preto, em 1957, onde fez o curso de admissão e o ginasial; o clássico, no Seminário Arquidiocesano Maria Imaculada, em Brodowski (1962-1964).

Cursou a Filosofia no Seminário Central da Imaculada Conceição do Ipiranga, em São Paulo, capital, de 1965 a 1967 (depois, fez a complementação filosófica, recolhimento na então Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Mogi das Cruzes, em 1972, obtendo diploma de licenciado em Filosofia, registrado na USP, sob o número 964557).

Cursou a Teologia na Universidade Gregoriana de Roma, Itália, onde obteve o bacharelado (1967-1969) e o mestrado em Teologia (1969-1971).

Ai também frequentou o curso de extensão universitária intitulado: Introdução aos Problemas Pastorais de Comunicação Social, promovido pelo Instituto de Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, em 1968, com certificado.

Em 18 de setembro de 1969, recebeu a tonsura na capela da residência arquiepiscopal de Ribeirão Preto, das mãos de Dom Frei Felício Cesar da Cunha Vasconcellos, OFM; as ordens menores, na igreja matriz de Jardinópolis, no dia 22 de setembro de 1969, das mãos de Dom Bernardo José Bueno Miele; o subdiaconato, na capela do Colégio Pio Brasileiro, no dia 19 de abril de 1970, das mãos de Dom Clemente José Carlos Isnard, OSB; o diaconato, na capela do Colégio Pio Latino-Americano, no dia 7 de maio de 1970, das mãos do Cardeal Ladislau Ruhin (polonês); e o presbiterato, no dia 9 de outubro de 1971, na capela do colégio Sagrado Coração de Jesus, em Jardinópolis, das mãos de Dom Bernardo José Bueno Miele.

Doutorou-se em Filosofia pela UNICAMP, em 3 de setembro de 1993, com a tese: A alteridade como critério fundamental e englobante da Bioética. Foi professor no Departamento de Enfermagem Psiquiátrica e Ciências Humanas da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (USP) e membro do Centro de Memória e da Comissão de Ética da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP

Na Arquidiocese de Ribeirão Preto exerceu os seguintes serviços: Foi Vigário Cooperador do Curado da Catedral de Ribeirão Preto (1971-1986); Capelão da USP (1976); 1o. Pároco da Paróquia Santa Teresa D’Ávila, no Jardim Recreio, Ribeirão Preto (1987-1989); Vigário Paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Rosário (1986 trabalho junto ao Campus da USP); Pároco da Paróquia Santo Antônio de Pádua, em Bento Quirino, São Simão (1989-1990); Pároco da Paróquia Imaculada Conceição, em Dumont (1990-1992) e Pároco da Paróquia São Pedro Apóstolo, no Ipiranga, Ribeirão Preto (1992-2005).

Foi Diretor do Centro de Estudos da Arquidiocese de Ribeirão Preto (CEARP) por três vezes.

Por motivo de saúde, deixou a paróquia São Pedro Apóstolo, no dia 30 de junho de 2005. Foi declarado pároco emérito em 04 de julho de 2005 por Dom Arnaldo Ribeiro.

Em 19 de março de 2007, foi nomeado cônego catedrático do Cabido Metropolitano de Ribeirão Preto, por Dom Joviano de Lima Junior, sss.

Cônego Francisco deixa vastíssima contribuição histórica para a Arquidiocese ao escrever artigos e livros: A primeira (1983) e segunda (2000) edições do livro: História da Arquidiocese de Ribeirão Preto (1908-2008); A Pequena do Nascimento e o Bom Jesus da Lapa (2005); História do Seminário Maria Imaculada de Brodowski (2005); Policopiados: Léxico das Circunscrições Eclesiásticas do Brasil (1551-2001); Dom Mousinho e a Assembleia de Goiânia CNBB; Artigos de Dom Luis: Vol. 1 1952-1954; Vol II 1955-1957; Vol. III 1958-1962.

Evangelho da Esposa de Jesus: uma falsificação

É o que agora admite Karen L. King, de Harvard, a pesquisadora que vinha testemunhando a veracidade do texto.

Leia:

Karen King Responds to ‘The Unbelievable Tale of Jesus’s Wife’ – Ariel Sabar – The Atlantic –  Jun 16, 2016

The Harvard scholar says papyrus is probably a forgery.

For four years, Karen L. King, a Harvard historian of Christianity, has defended the so-called “Gospel of Jesus’s Wife” against scholars who argued it was a forgery. But Thursday, for the first time, King said the papyrus—which she introduced to the world in 2012—is a probable fake. She reached this conclusion, she said, after reading The Atlantic’s investigation into the papyrus’s origins, which appears in the magazine’s July/August issue and was posted to its website Wednesday night. “It tips the balance towards forgery,” she said.

Durante quatro anos Karen L. King, uma historiadora do Cristianismo, da Universidade de Harvard, defendeu a autenticidade do chamado Evangelho da Esposa de Jesus contra os estudiosos que argumentavam que era uma falsificação. Mas, nesta quinta-feira, 16.06.2016, pela primeira vez, King disse que o papiro que ela apresentou ao mundo em 2012, é provavelmente uma falsificação.

Leia Mais:
The Jesus’s Wife Fragment: End of Story? – Roberta Mazza – Faces & Voices – June 17, 2016

Proprietário do Evangelho da Esposa de Jesus é descoberto

Quem não se lembra do Evangelho da Esposa de Jesus?

Então leia:

The Owner of the Gospel of Jesus’ Wife is Unmasked

Por Mark Goodacre – NT Blog – 15.06.2016

Que está indicando a leitura de:

The Unbelievable Tale of Jesus’ Wife – Ariel Sabar – The Atlantic

A hotly contested, supposedly ancient manuscript suggests Christ was married. But believing its origin story requires a big leap of faith.

Mais:
The Owner of the Gospel of Jesus’ Wife Unveiled – Peter Gurry – Evangelical Textual Criticism – June 16, 2016
More on the Gospel of Jesus Wife and Walter Fritz  – Christian Askeland – Evangelical Textual Criticism – June 16,2016

Arqueologia do Antigo Oriente Médio: projeto de pesquisa

Da Apresentação:

O projeto de pesquisa Arqueologia do Antigo Oriente está vinculado à Área de Literatura e Religião do Mundo Bíblico, no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo. Até pouco tempo o seu responsável era o Prof. Dr. Milton Schwantes, de saudosa memória. Seu novo responsável é o Prof. Dr. José Ademar Kaefer.

Projeto de Pesquisa: Arqueologia do Antigo Oriente Médio

O projeto sofreu alguns ajustes e se concentra nos seguintes passos da pesquisa:

Primeiro: Pesquisamos os diversos sítios arqueológicos (telim) do Antigo Oriente, privilegiando os sítios principais de Israel e Jordânia. Para tanto, fazemos uso de bibliografia especializada sobre o assunto. É dada especial ênfase aos períodos históricos do Segundo e Primeiro milênios a.C.

Segundo: É elaborado um texto que é apresentado nos encontros, onde o tema é debatido e o texto melhorado.

Terceiro: O texto é levado a público através do presente site e atualizado regularmente a partir das viagens de estudos aos locais respectivos e a partir das novas descobertas arqueológicas. No site já se encontram várias contribuições.

Quarto: Fazemos viagens de estudos devidamente organizadas à região do Antigo Oriente, cuja finalidade é unicamente de estudo dos sítios (telim).

Quinto: No contato com os sítios através das viagens, o estudo é aprofundado e revisto, a pesquisa melhorada e nosso acervo de informações enriquecido.

Sexto: Publicação

KAEFER, José Ademar. Un Pueblo libre y sin reyes: La función de Gn 49 y Dt 33 en la composición del Pentateuco. ABE/44. Estella (Navarra): Editora Verbo Divino, 2006. ISBN 8481691925.

KAEFER, José Ademar e JARSCHEL, Haidi (orgs.). Dimensões sociais da fé no Antigo Israel – Uma homenagem a Milton Schwantes. São Paulo: Paulinas, 2007. ISBN 9788535605068.

KAEFER, José Ademar. Arqueologia das terras da Bíblia. São Paulo: Paulus, 2012. ISBN 9788534933773.

KAEFER, José Ademar. Arqueologia Bíblica, vol. 1 e 2. São Paulo: Verbo Filmes, 2012 (DVD).

KAEFER, José Ademar. Nova Bíblia Pastoral: Tradução e Comentários. São Paulo: Paulus, 2014. ISBN 9788534936002.

KAEFER, José Ademar. A Bíblia a arqueologia e a história de Israel e Judá. São Paulo: Paulus, 2015. ISBN 9788534941549.

FINKELSTEIN, Israel. O reino esquecido – Arqueologia e história de Israel Norte – São Paulo: Paulus, 2015. ISBN 9788534942393

Arqueologia das terras da Bíblia

KAEFER, J. A. Arqueologia das terras da Bíblia II. São Paulo: Paulus, 2016, 136 p. – ISBN 9788534943109.

José Ademar Kaefer, Arqueologia das terras da Bíblia II

 

Este livro é fruto do trabalho do grupo de pesquisa “Arqueologia do Antigo Oriente Próximo”, que já há vários anos vem pesquisando os sítios arqueológicos das terras da Bíblia. O objetivo da pesquisa é trazer ao público da América Latina as recentes escavações e descobertas feitas nesses sítios, os quais são em sua grande parte cidades mencionadas na Bíblia, e assim enriquecer o estudo bíblico, unindo Bíblia e arqueologia. O  livro é, portanto, continuação  do  nosso primeiro livro, Arqueologia das terras da Bíblia, com a diferença de que aqui buscamos desenvolver um tema específico a partir dos sítios estudados. Esse tema é essencialmente o desenvolvimento de Israel Norte.

A pesquisa foi enriquecida com uma viagem de estudos aos sítios arqueológicos pesquisados, da qual participaram estudantes e professores de Bíblia. Em boa parte da viagem ficamos  hospedados em hotéis palestinos, como em Belém. A finalidade era, além dos melhores preços, solidarizar-nos com o povo palestino e obter uma visão mais heterogênea da região.

Acompanhou-nos nessa viagem a Verbo Filmes, a fim de registrar os locais pesquisados e  oferecer material visual aos leitores. O  resultado foi o terceiro vídeo do que aos poucos está se tornando uma série: Arqueologia Bíblica III.

O livro está dividido em três partes. A primeira apresenta um breve resumo das escavações recentes e suas descobertas nos principais sítios arqueológicos abordados no primeiro livro. A  segunda mostra o estudo de novos sítios, todos eles relacionados de uma ou outra forma a Israel Norte. São eles: Tel Jezreel, Rehov, Pella, Dã, Kuntillet ‘Ajrud e Khirbet Qeiyafa. A terceira parte traz duas longas entrevistas com dois dos mais importantes arqueólogos da atualidade no  mundo  da  Bíblia: Amihai  Mazar e Israel  Finkelstein. A primeira entrevista foi realizada na Universidade Hebraica de Jerusalém, e a segunda no Departamento de Arqueologia da Universidade de Tel Aviv.

Fonte: Introdução do livro

O livro está disponível também em formato digital. Confira a página do livro na Paulus. Para Kindle, clique aqui.