Nova edição da tradução da Bíblia da CNBB

Lançada nova edição da tradução da Bíblia Sagrada da CNBB, em Brasília (DF) –  21/11/2018

Bíblia Sagrada - Tradução oficial da CNBB - 2018

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou nesta quarta-feira, 21 de novembro, a nova tradução oficial da Bíblia Sagrada. O ato aconteceu durante a reunião do Conselho Permanente da entidade e contou com a participação de bispos, padres e convidados. “Este é um momento de evangelização da nossa Conferência Episcopal. Nós tivemos um longo caminho, foram muitos anos de trabalho e de dedicação de muitas pessoas”, afirmou o secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, na mesa de abertura.

Como recomenda o Concílio Vaticano II, a tradução oficial da Bíblia se baseia nos textos originais hebraicos, aramaicos e gregos, comparados com a Nova Vulgata – a tradução oficial católica. O projeto teve início em 2007, quando a coordenação de tradução e revisão, composta pelos padres Luís Henrique Eloy e Silva, padres Ney Brasil Pereira (in memoriam) e Johan Konings, fez a revisão integral conjunta, enquanto os professores padre Cássio Murilo Dias, dom Paulo Jackson Nóbrega de Sousa e Maria de Lourdes Lima colaboraram em algumas partes.

Durante o lançamento, o coordenador de tradução e revisão da Bíblia, padre Luís Henrique afirmou que a revisão se compôs de características diversas das traduções anteriores. De acordo com ele, no início visava-se um texto mais apurado em vista de outros objetivos como, por exemplo, o texto como referência para os documentos oficiais para os bispos do Brasil. Ele fez questão de enfatizar que, essa tradução, visou também uma maior facilitação à memória bíblica do país.

Assim como a Nova Vulgata, a nova Bíblia da CNBB leva em conta novas descobertas documentais e a crescente valorização das antigas traduções gregas, siríacas, egípcias e latinas, às vezes mais antigas ou de maior importância para a Igreja que os textos comumente considerados como os mais originais.

Padre Johan Konings, vice-coordenador de tradução e revisão da Bíblia destacou durante o lançamento que nem a Nova Vulgata, nem a nova tradução da Bíblia pretendem restabelecer um “texto original” único, mas procuram representar os textos que os primeiros cristãos conheceram, citaram e comentaram.

Luís Henrique Eloy e Silva e Johan Konings, coordenadores da tradução, com a Direção da CNBB

As introduções e notas, bem como os títulos e subtítulos das seções, embora aprovados pela Comissão para a Doutrina da Fé, não possuem caráter oficial, mas, baseadas em fontes científicas, fazem desta edição uma verdadeira “Bíblia de estudo”, servindo para cursos de Bíblia e de Teologia , em sintonia com as orientações do Magistério católico. Segundo o presidente da Comissão para a Doutrina da Fé da CNBB, dom Pedro Carlos Cipollini, a tradução é importante para a Igreja no Brasil porque serve de referencial. “A CNBB tem uma tradução aprovada e isso faz a diferença no sentido de que dá uma segurança maior no uso desse texto nas várias atividades da nossa Igreja”, disse o bispo.

Ao final do lançamento, o presidente da CNBB, dom Sergio da Rocha agradeceu aos exegetas e a todos os que colaboraram no aprimoramento das várias edições da Bíblia da CNBB, e de modo especial, nesta nova tradução. “Confiamos esta Bíblia Sagrada – Tradução Oficial da CNBB a Maria, Mãe da Igreja, discípula fiel do Senhor, que acolheu, meditou e cumpriu a Palavra”, disse o bispo.

Disponível para venda no site da Editora da CNBB.

Leia Mais:
Ler a Bíblia no Brasil hoje
Terceira edição da Bíblia da CNBB

História das traduções da Bíblia no Brasil

MALZONI, C. V. As edições da Bíblia no Brasil. São Paulo: Paulinas, 2016 [reimpressão: 2018], 176 p. – ISBN 9788535641981.

Cláudio Vianney Malzoni, As edições da Bíblia no Brasil

Escreve Cláudio Vianney Malzoni –  Doutor em Ciências Bíblicas pela École Biblique et Archéologique Française de Jérusalem, 2002 – em seu blog em 10.10.2016:

Foi publicado pelas Edições Paulinas meu livro “As edições da Bíblia no Brasil”. O livro é o resultado de uma pesquisa que ainda está em andamento. Ela começou há cerca de dez anos atrás. Em 2010, aparecia seu primeiro resultado: um artigo publicado na Revista Didaskalia, da Universidade Católica Portuguesa. Depois, vieram as orientações de Iniciação Científica com alunos da Universidade Católica de Pernambuco, e o pós-doutorado na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, sob a orientação de J. Konings, com ajuda financeira da CAPES. Este livro é um modo de partilhar os resultados atuais dessa pesquisa com o público interessado e conquistar mais interessados ainda para a pesquisa desse tema apaixonante.

Diz a editora:
Este livro conta a história das traduções da Bíblia no Brasil (…) A primeira tradução completa da Bíblia ao português, ainda que sem os livros deuterocanônicos do Antigo Testamento, foi feita no século XVIII, por João Ferreira de Almeida, em Batávia, atual Jacarta, na Indonésia. No Brasil, a primeira tradução da Bíblia tem sua origem no início do século XX, tendo sido publicada em 1917 com o nome de Bíblia Sagrada, Tradução Brasileira. É sobre isso que versa esta obra, dividida em duas partes. A primeira faz uma apresentação das principais edições da Bíblia presentes no Brasil. A segunda parte trata das questões que envolvem o ofício de tradução da Bíblia, seus desafios e sua beleza.

Leia Mais:
Fórum de Ciências Bíblicas 2: A tradução da Bíblia para a língua portuguesa

Nova tradução da Bíblia por Cássio e Irineu

Em 20 de setembro de 2009 noticiei aqui no blog: Cássio e Irineu fazem nova tradução da Bíblia.

Pois hoje recebi e-mail do Cássio com uma boa notícia: saiu, pela Loyola, a tradução dos Evangelhos e Atos dos Apóstolos, feita por Cássio Murilo Dias da Silva (PUC-Campinas) e Irineu Rabuske (PUCRS).

Evangelhos e Atos dos Apóstolos. Novíssima tradução dos originais. São Paulo: Loyola, 2011, 272 p. – ISBN 9788515038671.

Diz a editora:
Esta edição apresenta uma tradução totalmente nova e aderente ao texto grego, que preserva características literárias do original, sem abdicar da fluência e da clareza do português. Não se trata de mais uma nova versão dos textos bíblicos a partir dos originais. Esta publicação traz também inúmeras notas de caráter exegético, literário, teológico, histórico e filosófico, contendo as principais informações que o leitor necessita para compreensão adequada dos textos. Assim o leitor poderá, com maior proveito, rezar, meditar, estudar, anunciar, amar e praticar a Palavra de Deus.

Curso de Iniciação Bíblica: Campinas, 2010-2011

Os professores Cássio Murilo Dias da Silva – Doutor em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma – e Rita de Cácia Ló – Mestra em Teologia Bíblica pela Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, da PUC–SP, e em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Bernardo do Campo – estarão ministrando um Curso de Iniciação Bíblica em Campinas, SP, de agosto a novembro de 2010 e de março a junho de 2011. O curso é voltado para os Agentes de Pastoral que concluíram o Curso de Teologia Pastoral para Leigos, na Escola Teológico-Pastoral “Imaculada Conceição”, e nas Foranias.

Objetivo
Oferecer subsídios para descobrir que a Bíblia é bem mais que um livro de oração e de bons conselhos. Por meio de abordagens históricas, literárias e teológicas, os participantes aprenderão a fazer uma leitura articulada do texto bíblico, com proveito para sua vida espiritual, para o estudo e para a prática pastoral.

Programação
. Início das aulas: 07 de agosto de 2010
. Dias e horários: aos sábados das 08h30 às 12h00, com intervalo de 15 minutos – São 4 horas/aula por semana
. Local: Prédio Central da PUC-Campinas

Inscrição
Enviar preenchida a ficha de inscrição, até o dia 20 de julho, para cacialo@yahoo.com.br
Mensalidade: R$ 50,00 (cinquenta reais), durante o período de agosto a novembro

Conteúdo programático
. Introdução Geral: apresentar noções básicas e gerais para o estudo da Sagrada Escritura: revelação e inspiração; organização dos livros bíblicos; questões referentes a traduções e manuscritos; primeiros passos referentes a noções literárias para a leitura do texto
. Introdução ao Antigo Testamento – história, literatura e teologia: apresentar dados e problemáticas referentes aos períodos históricos do tempo do Antigo Testamento: formação do povo de Israel; período tribal; monarquia; exílios; período persa; período helenista; intertestamento. Estudar questões literárias e teológicas dos vários blocos de livros do Antigo Testamento: Pentateuco, Obra Deuteronomista, Literatura Profética, Literatura Sapiencial, Salmos, Outros Escritos.
. Introdução ao Novo Testamento – história, literatura e teologia: apresentar dados e problemáticas referentes aos períodos históricos do Novo Testamento: Palestina no tempo de Jesus, Império Romano e Igreja Primitiva. Estudar questões literárias e teológicas dos vários blocos de livros do Novo Testamento: Evangelhos, Atos, Epístolas, Apocalíptica e Apocalipse.

Cássio e Irineu fazem nova tradução da Bíblia

Bíblia recebe nova tradução

Os professores Irineu Rabuske, da Faculdade de Teologia da PUCRS, e Cássio Murilo Dias da Silva, da Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção – ligada à PUC-SP -, lançaram-se num empreendimento grandioso: realizar uma nova tradução da Bíblia a partir dos originais em hebraico, grego e aramaico.

O trabalho seria impensável para uma dupla e dependeria de mais recursos e tempo sem um aliado: a informática. Até o final de 2009 as Edições Loyola, de São Paulo, publicarão uma obra parcial, resultado de dois anos de pesquisa, com os Evangelhos e Atos dos Apóstolos. A previsão é de que em 2010 esteja pronto o Novo Testamento e daqui a três anos, a edição completa da Bíblia.

A tradução é feita a quatro mãos. Os pesquisadores se comunicam por Skype – um programa que interliga, de forma on-line, usuários conectados à internet. Apesar de estar cercado por várias Bíblias, um programa facilita o acesso de Rabuske a obras de todas as línguas – o BibleWorks. 

Apesar de o Brasil ser (…) um país [com muitas] traduções, perto de 15, segundo o professor, todas contêm imprecisões e são “precárias”. “Não havia recursos técnicos para a sua realização.” A nova tradução tem como alvo professores e alunos de Teologia, além de agentes de pastoral. A linguagem é acessível, atualizada e sem termos muito específicos. Para facilitar estudos e pesquisas, haverá notas explicativas. “Pretendemos dar subsídios para a interpretação da Bíblia”, explica Rabuske (…).

Os autores visam a ser fiéis ao original o mais possível, por isso se baseiam nos textos primários. “As traduções são como as cópias de imagens. A cada uma que fazemos se perde um pouco.” Eles se preocupam em seguir normas mais universais da tradição da Igreja Católica, sem um viés ideológico.

Uma das inovações da obra é o tratamento de modo sinótico. Os Evangelhos que abordam os mesmos temas são traduzidos simultaneamente com as colunas postas lado a lado no computador. “Procuramos respeitar a equivalência e divergência de vocábulos entre Mateus, Marcos, Lucas e João.” Rabuske e Dias da Silva definem trecho a trecho qual é a melhor versão da Língua Portuguesa. As palavras repetidas em cada Evangelho são comparadas e verificadas em seu sentido.

Os autores se conheceram no Pontifício Instituto Bíblico, onde estudaram juntos. O professor da PUCRS é Mestre em Ciências Bíblicas pela instituição de Roma e Doutor em Teologia pelo Instituto Ecumênico de Pós-Graduação, de São Leopoldo. Dias da Silva tem Doutorado em Exegese Bíhttp://airtonjo.com/site1/minimalistas.htmblica pelo Pontifício Instituto Bíblico. Dedicam 20 horas por semana para a pesquisa. 

Amanhã, 21 de setembro, segunda-feira, e no dia 25 [sexta-feira], eles falarão sobre o trabalho para as turmas de Humanismo e Cultura Religiosa da Universidade, no auditório do prédio 5 do Campus Central – na Avenida Ipiranga, 6681 – Porto Alegre.

Fonte: PUCRS – Assessoria de Comunicação Social – ASCOM: 16/09/2009 – 12h25min

Leia Mais:
Cássio Murilo Dias da Silva
Irineu José Rabuske

EABS: O Encontro de 2008

O encontro de 2008 da EABS – European Association of Biblical Studies – acontecerá em Lisboa, Portugal, entre os dias 3 e 6 de agosto.

The 2008 meeting will take place at the University of Lisbon, Sunday August 3rd to Wednesday 6th.

Veja o programa e os abstracts das palestras na página da EABS e no blog que acompanha o evento. Há temas e pesquisadores muito interessantes.

Como parte do encontro acontecem as sessões do European Seminar in Historical Methodology, do qual já falei um pouco aqui. O programa lista como participantes do ESHM neste ano de 2008:
Chair: Lester Grabbe (University of Hull)
Participants: Bob Becking (Utrecht University), Nadav Na’aman (Tel Aviv University), Rainer Albertz (University of Münster), Thomas Thompson, (Copenhagen University), Knud Jeppesen (Tantur), Philip Davies (University of Sheffield), Niels Peter Lemche (University of Copenhagen), Ehud Ben Zvi (University of Alberta) e Hans Barstad (University of Edinburgh).

Ainda no início da conferência acontece a apresentação de uma obra que a nós, brasileiros, muito interessa:

ALVES, Herculano A Bíblia de João Ferreira Annes d’Almeida. Lisboa: Sociedade Bíblica, 2007, 900 p. – ISBN 9789728780272

No site Universia, encontro a seguinte informação:
A “Bíblia de João Ferreira Annes d’Almeida” foi objecto de uma tese de doutoramento em Teologia Bíblica defendida em Abril de 2005, na Universidade Pontifícia de Salamanca, pelo Franciscano Capuchinho, Frei Herculano Alves. Esta Bíblia tem sido impressa aos milhões pelas Sociedades Bíblicas (protestantes), desde 1681, ano em que foi impresso pela primeira vez o Novo Testamento. No entanto, não tem recebido muita atenção por parte de historiadores, filólogos, literatos e exegetas. A obra pretende responder a esta lacuna, apresentando um estudo sobre a génese, o contexto histórico, cultural e religioso, assim como sobre a origem linguística desta Bíblia, a primeira em língua portuguesa. Esta tese é, pois, em si mesma, uma novidade, além de apresentar várias novidades concretas. No Prefácio, o Catedrático de Teologia Bíblica da Universidade Católica de Lisboa, Joaquim Carreira das Neves salienta que “o mérito do autor consiste em apresentar, de modo científico, um assunto da maior importância para milhões de protestantes, mas também para a cultura bíblica portuguesa. Esta tese abre novos caminhos e horizontes no clima actual ecuménico.”

Diz o abstract na página da EABS:
Herculano Alves, João Ferreira Annes d’Almeida: the History of the First Portuguese Bible Translation
The main purpose of this work is to introduce for the first time João Ferreira Annes d’Almeida as a historical character and his Bible, answering to questions raised over the last three centuries. The life of this author, the mostimportant figure of the Portuguese Protestant church, will be introduced in terms that describe him as a man of his time as well a Calvinist entirely dedicated to the Calvinist Bible. This book contains 900 pages divided intofive chapters and two supplements, the second of which is an enormous Catálogo (catalogue) and that almost represents a complete work per se. It is from the study of this Catálogo that we understand that Almeida’s Bible is themost frequently edited work in Portuguese of all times: we account for circa 150 millions of copies, which transforms Almeida in the biggest author of Portuguese language in quantitative terms. In our days, a period known for its ecumenism, the study of Almeida’s work is of great importance. This scientific research, both historical and religious, enlightens most cultural aspects of the period in which this Bible was created and developed: the Dutch East Indies of the 17th century.

Enquetes Biblicas: Which Bible Do You Use?

Você está convidado/a a votar em três novas enquetes/polls publicadas hoje na Ayrton’s Biblical Page:

:: Qual Bíblia você usa?
Esta pergunta refere-se prioritariamente a traduções da Bíblia existentes no Brasil, sem nenhuma pretensão de ser uma lista completa

:: Você lê a Bíblia em hebraico e grego?
Com quatro opções de resposta, esta questão diz respeito à leitura dos textos bíblicos nas duas principais línguas em que foram inicialmente escritos

:: Em qual língua você mais usa a Bíblia?
Citando cerca de uma dúzia e meia de línguas, esta enquete amplia possibilidades não contempladas nas duas anteriores

Visite a página das Enquetes Bíblicas – Biblical Polls e Vote!

Nanobiblia

A notícia já saiu em vários meios de comunicação e pode ser encontrada com facilidade em muitos biblioblogs em inglês. Fica aqui o registro.

Cientistas israelenses criam nanobíblia

Cientistas do Instituto Technion, em Haifa (Israel) acabam de bater o recorde de menor Bíblia do mundo – ou, pelo menos, do menor Antigo Testamento já impresso. A equipe, liderada por Uri Sivan, diretor do Instituto de Nanotecnologia do Technion, e Alex Lahav, ex-chefe do Instituto de Pesquisas em Microeletrônica, conseguiu “escrever” as 308.428 palavras da primeira parte da Bíblia sobre uma superfície de 0.5mm² de silício, coberta por uma camada de ouro de 20 nanometros. A nanobíblia foi escrita com a técnica de Feixe de Íons em Foco (FIB, na sigla em inglês). Ao se direcionar um feixe de partículas para um ponto sobre a superfície, os átomos de ouro saem desse ponto, expondo assim a camada de silício que estava por baixo. O diâmetro do ponto exposto tem cerca de 40 nanometros. Ao observar as palavras escritas sob um microscópio eletrônico de varredura (SEM, em inglês), os pontos expostos de silício ficam mais escuros que o ouro em sua volta, facilitando a leitura. Ao direcionar um feixe de partículas para vários pontos sobre o substrato, é possível gravar qualquer padrão de pontos, especialmente aquele que represente um texto. Agora, os cientistas estão tentando fotografar a nanobíblia com o SEM. Assim, eles poderão ampliar a fotografia em 10.000 vezes e exibi-la em uma parede gigante na Faculdade de Física do Instituto. Assim, o texto ficará visível a olho nu em um painel de 7m x 7m.


Fonte: Scientific American Brasil: 21.12.2007

Leia Mais:
And Out of Zion Will Come the World’s First Nano-Torah – Arutz Sheva: 17 Tevet 5768, December 26, ’07 (com duas fotos interessantes). Veja o texto também no PaleoJudaica.com, de Jim Davila.