Resenhas na RBL: 14.07.2010

Pluralismo Religioso: irrevogável e irredutível

Cristianismo: religião de referência ou uma entre as demais?

A mesa de debates Teologia Pluralista e Teologia da Revelação reuniu o teólogo Andrés Torres Queiruga, da Universidade de Santiago de Compostela, Espanha, o teólogo Faustino Teixeira, da Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil, e o teólogo José Maria Vigil, da Associação Ecumênica de Teólogos/Teólogas do Terceiro Mundo (ASETT/EATWOT), de El Salvador. O debate aconteceu no 23º Congresso da SOTER, que terminou ontem em Belo Horizonte.

O texto é de Antonio Carlos Ribeiro e foi publicado pela Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC) em 15 de julho de 2010. Disponível também em Notícias: IHU On-Line: 16/07/2010.

Andrés Torres Queiruga desenvolveu a noção de pluralismo assimétrico que, mesmo sendo uma abstração, pode ser utilizada em relação ao outras religiões, mas sem se afastar do específico do Cristo para a tradição cristã. Admite que existem muitos pluralismos, mas há alguns com os quais ele tem dificuldades, como o dos ateus, embora respeite o discurso e se disponha a dialogar, mesmo sendo distinto do cristão. Por outro lado, não tem dificuldade de estabelecer contato com teólogos católicos e protestantes, desde que seja possível dialogar e crescer (…) Faustino Teixeira aprofundou a noção do pluralismo religioso, chamando-o de irrevogável e irredutível, e não sendo visto mais como estrutural e passageiro, mas reivindicando legitimidade e permanência (…) José Maria Vigil chamou os teólogos a olharem para o futuro, observando que mesmo a Teologia da Libertação clássica foi inclusivista. No entanto, “não podemos dizer que o que foi dito no passado possa ser dito do mesmo modo hoje”. Até porque naquela época nem sabíamos que hoje estaríamos debatendo os limites do exclusivismo sobre o diálogo inter-religioso. Assim, apoiou integralmente a visão de Faustino Teixeira.

Leia o texto completo.

Leia Mais:
A Teologia do Pluralismo Religioso e seus desafios
O pluralismo religioso é a democratização do campo religioso

Um novo dicionário de Teologia Bíblica

Cássio Murilo Dias da Silva acaba de me comunicar que está traduzindo um novo dicionário de teologia bíblica, recentemente lançado na Itália sob os cuidados dos biblistas Romano Penna, Giacomo Perego e Gianfranco Ravasi.

PENNA, R.; PEREGO, G.; RAVASI, G. (eds.) Temi teologici della Bibbia. Cinisello Balsamo (MI): San Paolo, 2010, 1614 p. – ISBN 9788821564802.

Na página da editora italiana, leio:
Un’edizione completamente nuova – con 224 voci e 160 Autori – che tiene conto dei più recenti studi e dà spazio ai temi e alle grandi sezioni della Scrittura, accostata in chiave teologica. L’opera si segnala per il taglio internazionale dei suoi collaboratori. Sono infatti coinvolti, oltre ai numerosi italiani, anche Autori tedeschi, inglesi, francesi, portoghesi e spagnoli. In più, per la composizione del presente Dizionario sono stati valorizzati i suggerimenti emersi dalle diverse recensioni e lettere giunte in redazione in seguito alla pubblicazione del precedente Dizionario di teologia biblica; oltre a ciò si è tenuto conto dell’impostazione adottata in altri Dizionari biblico-teologici pubblicati negli ultimi anni.

Ou seja: são 224 verbetes escritos por 160 autores de diversas nacionalidades. Além dos italianos, há alemães, ingleses, franceses, portugueses, espanhóis e brasileiros.

Cada artigo, atento às novidades histórico-culturais e ao mundo extrabíblico, é precedido por um breve sumário e completado por uma bibliografia atualizada.

O dicionário “Temas teológicos da Bíblia” será publicado, no Brasil, pela Loyola, em parceria com a Paulus.