O império visa as rotas do petróleo

Chávez é motivo para ter base na Colômbia, afirma Pentágono

Ao assinar o acordo militar com a Colômbia e garantir o uso da base área de Palanquero, no centro do país, o governo dos EUA considera ter aproveitado uma “oportunidade única” de obter “acesso e presença regional a custo mínimo” numa área sob ameaças constantes, entre elas as vindas de “governos antiamericanos” como o do venezuelano Hugo Chávez. O argumento acima consta do documento do Pentágono submetido ao Congresso americano para justificar o Orçamento militar do país no ano fiscal de 2010. O texto, sancionado recentemente pelo presidente Barack Obama, inclui verba de US$ 46 milhões a ser aplicada em Palanquero. O documento solapa a retórica de Washington e Bogotá, que repetem o mantra de que o pacto militar assinado na sexta-feira –que permitirá aos EUA usar outras seis instalações além de Palanquero– visa atacar só problemas domésticos colombianos [sublinhado meu], e dá combustível às reclamações de Chávez, que vê no trato uma ameaça a seu país. Tudo isso num momento em que a tensão entre Bogotá e Caracas volta a crescer por conta de incidentes na divisa cada vez mais violenta. O teor do acordo militar não foi divulgado –a Colômbia promete fazê-lo nesta semana. Só Chávez e Evo Morales (Bolívia) reclamaram de sua consumação (…) O documento do Pentágono submetido ao Congresso diz que Palanquero é “inquestionavelmente” o melhor lugar “para conduzir um completo espectro de operações pela América do Sul” –a importância da base já havia aparecido em documento da Força Aérea, que a inclui no esquema global de rotas para transporte estratégico global de carga e pessoal. Afirma que o investimento na base vai “melhorar a capacidade dos EUA de responder rapidamente a crises, assegurando acesso e presença regional com custo mínimo”. Contribuirá também para “expandir capacidade de guerra aérea”, inteligência e monitoramento [sublinhado meu].

Fonte: Folha Online: 02/11/2009 – 07h41

A palavrinha mágica está aí: guerra…

Onde será que está minha garrucha enferrujada?

Leia Mais:
Com presença na Colômbia, EUA visam rotas do petróleo
(leia os comentários do post)
Olhe bem para este mapa do AMC

Seria só uma provocação?

Estava olhando, por acaso, os critérios usados para a classificação dos Top 50 mencionados no post anterior – Technical bits – e encontrei a seguinte frase:

In Biblical Studies the ability to write meaningful pieces that only you and, maybe, one other person in the world understand is the zenith of achievement.

Que soa, em português, mais ou menos como: Nos estudos bíblicos, a capacidade de escrever ensaios significativos que somente você e, talvez, uma outra pessoa no mundo entenda, é o apogeu da realização.

Sei não. Se não for só uma frase retórica – o que acho que é – é muito esquisita. Não se aplica.

Caberia aqui um bocado de reflexão filosófica, epistemológica, teológica e muitas outras “lógicas” herdadas de gregos (e troianos)!

Penso que minha prática hermenêutica vai noutra direção…

Mas deve ser só uma brincadeira.