O livro do Eclesiastes é o desafio para o Mês da Bíblia de 2006

Há muitos recursos para o estudo do livro do Eclesiastes ou Coélet. Na página da CNBB, por exemplo, a Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Biblico-Catequética propõe o Livro Mês da Bíblia.

Na Apresentação do Livro, diz a Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética:

Com alegria colocamos em suas mãos uma sugestão para a Celebração do Dia da Bíblia (…) O Projeto Nacional de Evangelização propõe para este ano, no mês de setembro (…) o Livro de Eclesiastes (…) O mês de setembro, reconhecido nacionalmente como o mês da Bíblia, é para nós uma grande riqueza. Ele possibilita preparar, vivenciar e testemunhar com entusiasmo e empenho as Celebrações em nossas comunidades, bem como fortalecer os Círculos Bíblicos e Grupos de Reflexão que buscam na Bíblia a força na missão de evangelizar e ser evangelizado.

 

Subsídios populares:

Carlos MESTERS e Francisco OROFINO, O Varal da Vida: chave de leitura para o livro do Eclesiastes, São Leopoldo: CEBI, 2006, 52 p.

CENTRO BÍBLICO VERBO, Come teu pão com alegria! Entendendo o livro de Eclesiastes. São Paulo: Paulus, 2006, 163 p.

Darci Luiz MARIN (Redator), Eclesiastes: viver bem o presente. Vida Pastoral, São Paulo: Paulus, ano 47, n. 250, setembro-outubro de 2006.

Gilvander MOREIRA, Western CLAY, Rogério DE ALMEIDA, Jacir DE FREITAS e Adilson SCHULTZ, O povo sabe das coisas: Eclesiastes ilumina o trabalho, a vida e a religião do povo. São Leopoldo: CEBI/Contexto Editora, 2006, 126 p.

Ivo STORNIOLO e Euclides M. BALANCIN, Como ler o livro do Eclesiastes: trabalho e felicidade. 4. ed. São Paulo: Paulus, 1997, 48 p.

SAB, Come teu pão com alegria: Eclesiastes. São Paulo: Paulinas, 2006.

 

Subsídios acadêmicos:

Haroldo DE CAMPOS, com uma colaboração especial de J. Guinsburg, Qohélet / O-Que-Sabe. Eclesiastes: poema sapiencial. 2. ed. Transcriado por Haroldo de Campos. São Paulo: Perspectiva, 2004, 248 p.

Ivo STORNIOLO, Trabalho e felicidade: o livro de Eclesiastes. São Paulo: Paulus, 2002, 152 p.

José VÍLCHEZ LÍNDEZ, Eclesiastes ou Qohélet. São Paulo: Paulus, 1999, 512 p.

Lilia LADEIRA VERAS, Um primeiro contato com o livro do Eclesiastes ou o livro Coélet. RIBLA 52, 2005/3, Petrópolis: Vozes, p. 119-139 (com três páginas de bibliografia no final).

Robert MICHAUD, Qohélet et l’hellénisme. Paris: Du Cerf, 1987, 224 p.

 

Para conhecer a época em que foi escrito o Eclesiastes, recomendo o meu texto de História de Israel no item 7. Os Ptolomeus Governam a Palestina. No final deste item abordo a questão da administração ptolomaica da Palestina.

Por outro lado, já andei escrevendo algumas linhas sobre o Eclesiastes. Foi em meu artigo Judaísmo e Helenismo: encontro e conflito. Estudos Bíblicos, Petrópolis: Vozes, n. 48, 1996, p. 9-18.

Este número da revista trata da Sabedoria e, além de meu artigo, podem ser lidos os artigos de Walmor Oliveira de Azevedo, Emanuel Messias de Oliveira, Wolfgang Gruen, Romi Auth, Western Clay Peixoto, Rosana Pulga, Rodrigo P. Silva e Benjamim Carreira de Oliveira. Todos fazem parte do grupo dos “Biblistas Mineiros”.

Loyola publica tese de doutorado de Cássio Murilo Dias da Silva

Cássio Murilo Dias da Silva está nos convidando para o lançamento de seu livro Aquele que manda a chuva sobre a face da terra. O livro é resultado de sua tese de Doutorado em Ciências Bíblicas, elaborada no Pontifício Instituto Bíblico de Roma sob orientação do Professor Horacio Simian-Yofre e defendida no dia 27 de maio de 2005. Cássio fez um estudo filológico e exegético da imagem de Yahweh como controlador da chuva em determinados textos bíblicos.

O livro do Cássio será lançado pela Loyola no dia 23 de setembro próximo, durante a 4ª Expocatólica, no Pavilhão Amarelo, Auditório 1 do EXPO CENTER NORTE, em São Paulo. Na ocasião, a partir das 13 horas, o autor fará palestra sobre A Bíblia como obra literária.

Cássio Murilo é professor de Metodologia Bíblica no Curso de Pós-Graduação em Estudos Bíblicos da Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, São Paulo, desde 1993, e autor do livro Metodologia de Exegese Bíblica, 3. ed. São Paulo: Paulinas, 2009.


Foi meu aluno e colega na Faculdade de Teologia da PUC-Campinas. Participa do grupo dos “Biblistas Mineiros”.

Homenagens a Dom Luciano Mendes de Almeida

Um guerreiro sai de cena, mas deixa sua semente marcante e exemplar para os novos guerreiros.

Como foi amplamente noticiado, faleceu, neste 27 de agosto de 2006, domingo, Dom Luciano Mendes de Almeida, arcebispo de Mariana, MG. Dom Luciano foi Secretário-Geral da CNBB por dois mandatos consecutivos, de 1979 a 1986, e Presidente da mesma entidade, também por dois mandatos consecutivos, de 1987 a 1994. Seu enterro acontece hoje, dia 30, em Mariana.

Veja algumas das muitas homenagens prestadas a este grande homem nos links abaixo.

Da Folha Online:
Morre dom Luciano Mendes de Almeida, arcebispo de Mariana
CNBB lamenta morte de Dom Luciano
Corpo de dom Luciano Mendes de Almeida é velado em SP
Após velório em SP, corpo de dom Luciano Mendes segue para Minas
Lula, Alckmin e Aécio lamentam morte do arcebispo de Mariana
Corpo de dom Luciano Mendes deve chegar em Mariana no final da tarde
Lula vai ao velório de dom Luciano Mendes em Minas
Corpo de dom Luciano deixa BH e é levado para homenagem em Ouro Preto
Dom Luciano será enterrado amanhã em Mariana
Em velório, Lula ressalta grandeza de “companheiro” dom Luciano

Pressionado pelo MP, Orkut publica novos termos de serviço

Orkut exige maioridade de usuários e removerá conteúdo ilegal

Após sofrer pressão do Ministério Público para fornecer dados de seus usuários e ameaçar o encerramento de suas atividades no Brasil, a página de relacionamentos virtuais Orkut colocou no ar hoje um link para todos os seus usuários. Nele, o Orkut chama a atenção para os termos do serviço prestado, que incluem a exigência de que seus integrantes sejam maiores de 18 anos e a advertência de que, “conteúdo ilegal não será tolerado e será devidamente removido”.

O usuário deve ficar atento, pois segundo o documento, “você é responsável por verificar regularmente” os termos de serviço do Orkut e, ao se inscrever, deverá “fornecer informações verdadeiras, exatas e completas”.

Os termos também atribuem ao usuário a responsabilidade por “toda e qualquer atividade realizada sob o seu nome”.

Para acabar com os perfis múltiplos, o Orkut também poderá se recusar a conceder “um nome de usuário que corresponda ao nome de outra pessoa ou que possa ser protegido por marca comercial ou por lei de direitos proprietários, ou que seja considerado vulgar, ofensivo ou impróprio, de acordo com os nossos próprios critérios”.

Segundo o texto, a única conduta e conteúdo apropriados são o uso pessoal, não podendo o serviço ser usado por empresas, organizações e outras entidades legais.

Também ressalta que é “vedada a utilização do serviço orkut.com para quaisquer fins ilegais ou não-autorizados”. “Poderemos, sem que haja obrigação de nossa parte, remover materiais que, de acordo com os nossos próprios critérios, sejam considerados ilegais, fraudulentos, ameaçadores, depreciativos, difamatórios, obscenos ou questionáveis, ou que infrinjam ou violem a propriedade intelectual de terceiros”, afirma um dos termos.

Enfim, uma mensagem em destaque resume a filosofia da política do Orkut em relação a seus usuários: “Você concorda que o uso do orkut.com é inteiramente por sua conta e risco.”

Com isso, o Orkut tenta dar mostras à Justiça brasileira que trabalhará para manter o serviço disponível no país de maneira a preservar os cidadãos de abusos, preconceitos e crimes, como pedofilia.

“Nós todos gostamos do orkut.com e contamos com a sua ajuda para mantê-lo saudável. Por favor use o serviço com responsabilidade e seja proativo ao reportar abusos em perfis e comunidades”, solicita a equipe do site.

Fonte: James Cimino – Folha Online: 26/08/2006

We are in the midst of a remarkable period of archaeological discovery

O número 5 do volume 59, de setembro/outubro de 2006 da revista Archaeology, do AIA – Archaeological Institute of America – traz como matéria de capa o seguinte: The Next 50 Years: Will it be the Golden Age of Archaeology? (Os próximos 50 anos constituirão a Idade de Ouro da Arqueologia?)

E cita várias descobertas importantes feitas nos últimos anos, se perguntando: “This torrent of new discoveries raises a fascinating question. What major archaeological discoveries can we expect during the next half-century or so? Where will the truly sensational finds be made? What kinds of discoveries will radically transform our knowledge of the past? I believe we can make some intelligent forecasts”.

Veja o abstract deste e de outros ensaios e textos completos de notícias, resenhas e artigos selecionados clicando no link da revista. Agradeço a Jim Davila pela dica, postada em seu blog PaleoJudaica.com aqui.

Dez erros que devem ser evitados no seu blog

Esta lista está em The RSS Blog, no post Top 10 Mistakes Made by My Blogging Friends. Preste atenção nela, porque serve inclusive para biblioblogs. Vou apenas enumerar os dez erros que, segundo Randy Morin, são os mais freqüentes e perigosos. No blog você lê as explicações dos erros e o modo de evitá-los.

Você pode ler também o comentário do Bloggers Blog em Blogging Mistakes to Avoid.

  1. Forfeiting Google Juice
  2. Forfeiting Your RSS Feed
  3. Invalid RSS Feeds
  4. Making it Difficult to Subscribe
  5. Blocking Your Readers
  6. Sucking Up to A-listers
  7. Not Reading Your Readers
  8. Accepting Trolls
  9. Putting Yourself on a Pedestal
  10. Partial Feeds