Pesquisa mostra o que os brasileiros pensam da mídia

Pesquisa aponta que 70% dos brasileiros querem regulação da mídia – Tadeu Breda, da Rede Brasil Atual. Publicado em 16/08/2013.

Levantamento da Fundação Perseu Abramo mostra que, para 35% dos entrevistados, os meios de comunicação defendem os interesses de seus donos; e apenas 8% acham que estão a serviço da população.

Sete em cada dez brasileiros querem mais regras para o conteúdo da programação veiculada na tevê, revela uma pesquisa divulgada [no dia 16/08/2013] em São Paulo pela Fundação Perseu Abramo (FPA), entidade ligada ao Partido dos Trabalhadores. E 46% da população é favorável a que essa regulamentação seja definida e fiscalizada através do chamado “controle social”, por um “órgão ou conselho que represente a sociedade”.

O estudo entrevistou 2.400 pessoas em 120 municípios do país, entre abril e maio, para mapear a percepção dos brasileiros sobre os meios de comunicação, além de formular perguntas relativas ao grau de concentração das emissoras, regime de concessões, penetração da internet, neutralidade da cobertura da imprensa e representação dos setores da sociedade na mídia. A margem de erro oscila entre 2 e 5 pontos percentuais.

A FPA detectou que a televisão continua sendo uma preferência nacional: 94% dos brasileiros cultivam o hábito de assistir tevê e 82% recorre à telinha diariamente. Mais que isso: quase 90% das pessoas usam a tevê para se informar sobre o que acontece no mundo. O rádio aparece em segundo lugar no gosto popular, atingindo 79% da população. A internet surge na terceira colocação, ao lado dos jornais impressos: 43% afirmam ter acesso à rede. Dessa parcela, 38% usam o Facebook e 25% o Google.

Quanto aos jornais, a maioria das pessoas que afirma lê-los (46%) recorre a títulos locais ou regionais. Depois deles, o periódico mais lido no país é o Extra, seguido pelo Super e pelo Diário Gaúcho. Entre as revistas, a Veja se mantém na primeira colocação, à frente de IstoÉ, Época e Caras (…)

A FPA detectou que 35% dos brasileiros entendem que os meios de comunicação defendem os interesses de seus proprietários; 32%, os interesses dos que têm mais dinheiro; e 21%, dos políticos. Apenas 8% acha que a mídia está a serviço da população.

Quanto à programação, 43% afirmam não se reconhecerem na telinha e 23% sentem que são retratados com negatividade. Mais da metade avalia que a tevê costuma tratar mulheres, negros e nordestinos com desrespeito. E 61% acredita que os empresários têm mais espaço do que os trabalhadores.

Leia o texto completo.

Relatório das escavações em Khirbet Qeiyafa

O trabalho de campo em Khirbet Qeiyafa ocorreu entre 2007 e 2013. Agora, a expedição se concentra na análise dos resultados e na elaboração dos relatórios finais da escavação. Um novo projeto de campo está começando em Tel Lachish, fruto da cooperação entre o Instituto de Arqueologia da Universidade Hebraica de Jerusalém e o Institute of Archaeology of Southern Adventist University, Collegedale, TN, USA.

Durante os últimos 30 anos, o relato bíblico sobre o estabelecimento de um reino no Judá bíblico tem sido muito debatido. Foram Davi e Salomão governantes históricos de uma sociedade urbana no início do século X a.C., ou este nível de desenvolvimento social foi alcançado somente no final do século VIII a.C., 300 anos mais tarde? Escavações recentes em Khirbet Qeiyafa indicam uma cidade fortificada bem planejada em Judá, aí pelo final do século XI, início do século X a.C. Os novos dados têm profundas implicações para os estudos bíblicos e para a arqueologia e a história de Israel.

The fieldwork lasted from 2007 to 2013. Now the expedition concentrates on the analysis of the finds and writing the final excavation reports. A new field project is starting at Tel Lachish, cooperation between the Institute of Archaeology of the Hebrew University of Jerusalem and the Institute of Archaeology of Southern Adventist University. 


During the past 30 years, the biblical narrative relating to the establishment of a kingdom in Biblical Judah has been much debated. Were David and Solomon historical rulers of an urbanized state-level society in the early 10th century BC, or was this level of social development reached only at the end of the 8th century BC, 300 years later? Recent excavations at Khirbet Qeiyafa, the first early Judean city to be dated by 14C, clearly indicate a well planned fortified city in Judah as early as the late 11th-early 10th centuries BC. This new data has far reaching implication for archaeology, history and biblical studies.

Isralenses x Palestinos: por que novas negociações?

Para que servem as negociações entre israelenses e palestinos?

Em vista do ceticismo generalizado sobre a possibilidade de sucesso da nova rodada de negociações entre israelenses e palestinos muitos analistas se perguntam o que leva as três partes envolvidas  – o governo israelense, a Autoridade Palestina e o governo norte-americano – a reiniciar o diálogo. É óbvio que a  autoridade Palestina e governos de EUA e Israel têm diversos objetivos por trás da retomada do diálogo. Mas é claro que  a solução do conflito não é um destes objetivos.

Leia a reportagem escrita por Guila Flint. Publicado em Opera Mundi em 14/08/2013.

Leia Mais:
Israelenses x Palestinos: ninguém acredita mais em paz
O frágil equilíbrio do Oriente Médio está se rompendo

Resenhas na RBL – 12.08.2013

As seguintes resenhas foram recentemente publicadas pela Review of Biblical Literature:

Judith Baskin and Kenneth Seeskin, eds.
The Cambridge Guide to Jewish History, Religion, and Culture
Reviewed by Alan Avery-Peck

G. K. Beale
A New Testament Biblical Theology: The Unfolding of the Old Testament in the New
Reviewed by Stephen Moyise

John T. Carroll
Luke: A Commentary
Reviewed by Daniel L. Smith

Jan Joosten
Collected Studies on the Septuagint: From Language to Interpretation and Beyond
Reviewed by Sean A. Adams

Ingrid E. Lilly
Two Books of Ezekiel: Papyrus 967 and the Masoretic Text as Variant Literary Editions
Reviewed by John Engle

Marty Alan Michelson
Reconciling Violence and Kingship: A Study of Judges and 1 Samuel
Reviewed by Gregory Mobley

John J. Pilch
A Cultural Handbook to the Bible
Reviewed by Jacobus Kok

Konrad Schmid
The Old Testament: A Literary History
Reviewed by Trent C. Butler

James W. Thompson
Moral Formation according to Paul: The Context and Coherence of Pauline Ethics
Reviewed by David G. Horrell

Jane S. Webster and Glenn S. Holland, eds.
Teaching the Bible in the Liberal Arts Classroom
Reviewed by Phillip Sherman

>> Visite: Review of Biblical Literature Blog

Resenhas na RBL – 06.08.2013

As seguintes resenhas foram recentemente publicadas pela Review of Biblical Literature:

Christoph Dohmen
Studien zu Bilderverbot und Bildtheologie des Alten Testaments
Reviewed by Sven Petry

Mark W. Elliott
The Heart of Biblical Theology: Providence Experienced
Reviewed by Mark McEntire

Larry R. Helyer
The Life and Witness of Peter
Reviewed by Timothy P. Henderson

Matthias Henze, ed.
Hazon Gabriel: New Readings of the Gabriel Revelation
Reviewed by Aaron Koller

Jan Joosten
The Verbal System of Biblical Hebrew: A New Synthesis Elaborated on the Basis of Classical Prose
Reviewed by Jerome Lund

Granville J. R. Kent
Say It Again, Sam: A Literary and Filmic Study of Narrative Repetition in 1 Samuel 28
Reviewed by Andrew Steinmann

Yoo-Ki Kim
The Function of the Tautological Infinitive in Classical Biblical Hebrew
Reviewed by Hubert James Keener

R. Reed Lessing
Isaiah 40–-55
Reviewed by Alphonso Groenewald

Rüdiger Lux
Hiob: Im Räderwerk des Bösen
Reviewed by Urmas Nommik

Andrew G. Shead
A Mouth Full of Fire: The Word of God in Jeremiah
Reviewed by Hallvard Hagelia

>> Visite: Review of Biblical Literature Blog