Mel Gibson e sua paixão

Atualizado em

Depois de tanto bafafá [veja aqui sinônimos], em 2004, causado pelo filme A Paixão de Cristo, aí está, no noticiário, de novo, Mel Gibson e sua paixão…

Deviam chamar Pilatos para julgar o caso.

 

Roteirista de “A Paixão de Cristo” processa Mel Gibson por má-fé

Um dos roteiristas de “A Paixão de Cristo”, dirigido por Mel Gibson, decidiu processar o ator e diretor por não ter recebido uma “justa compensação” por seu trabalho na produção.

Benedict Fitzgerald, que escreveu o roteiro do filme junto com Gibson, está pedindo US$ 5 milhões ( R$ 8,8 milhões) na ação que abriu nesta segunda-feira na Suprema Corte de Los Angeles, informa o site da revista “People”.

Fitzgerald acusa Gibson de fraude, descumprimento de contrato e práticas de negócio injustas.

“Ben foi uma vítima (…) de Gibson, que se aproveitou da paixão desenfreada pelo projeto e das crenças pessoais e espirituais do roteirista”, diz o processo.

Fitzgerald alega que, além de “enganado”, foi vítima de “táticas conspiratórias” forjadas por Gibson, que havia lhe assegurado que o filme seria um projeto pequeno, de entre US$ 4 milhões (cerca de R$ 7 milhões) e US$ 7 milhões (cerca de R$ 12,3 milhões), e não daria lucro.

No entanto, “A Paixão de Cristo” se tornou um dos maiores sucessos de bilheteria de 2004, com mais de US$ 600 milhões (cerca de R$ 1 bilhão) arrecadados ao redor do mundo.

Fitzgerald diz que cobrou US$ 75 mil (R$ 132 mil) por seu trabalho e que teve que pedir a Gibson outros US$ 200 mil (R$ 352 mil) emprestados para pagar despesas.

Fonte: Folha Online – 12/02/2008

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário