Mark Goodacre e a Tumba de Talpiot

Você tem algum interesse na Tumba B de Talpiot?

Então leia primeiro o post Mais uma Tumba de Talpiot, publicado em 28 de fevereiro de 2012.

E também o post Entrevista com Goodacre e Meyer sobre Talpiot, de 16 de abril de 2012.

Em seguida, vale a pena ler o artigo de Mark Goodacre em The Bible and Interpretation, publicado agora, em abril de 2013:

The Jesus Discovery? A Sceptic’s Perspective.

Ele explica:
This is a revised version of a paper given at SECSOR (Southeastern Commission for the Study of Religion) on 16 March 2013. I am grateful to Ralph Hawkins for the invitation to speak at this session, and to my dialogue partners, James Tabor and Christopher Rollston.

Feliciano e os defensores da moral e dos bons costumes

“O caso Marco Feliciano pode ser considerado um paradigma pelo fato de ser a primeira vez na história em que os evangélicos se colocam como um bloco organicamente articulado, com projeto temático definido: uma pretensa defesa da família…

Torna-se nítida uma articulação política e ideológica conservadora em diferentes espaços sociais – do Congresso Nacional às mídias – que reflete um espírito presente na sociedade brasileira, de reação a avanços sociopolíticos, que dizem respeito não só a direitos civis homossexuais e das mulheres, como também aos direitos de crianças e adolescentes, às ações afirmativas (cotas, por exemplo) e da Comissão da Verdade, e de políticas de inclusão social e cidadania. Nesta articulação a religião passa a ser instrumentalizada, uma porta-voz…

É possível afirmar que os grupos políticos e midiáticos conservadores no Brasil descobriram os evangélicos e o seu poder de voz, de voto, de consumo e de reprodução ideológica…

O projeto político que se desenha, de fato, pouco ou nada tem a ver com a defesa da família…”

Recomendo a leitura do artigo ‘Caso Marco Feliciano’: um paradigma na relação religião-mídia-política no Brasil.

Escrito por Magali do Nascimento Cunha, jornalista, doutora em Ciências da Comunicação, professora da Universidade Metodista de São Paulo (Faculdade de Teologia e Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação) e autora do livro A Explosão Gospel: Um olhar das ciências humanas sobre o cenário evangélico no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad, 2007, 232 p. – ISBN 9788574782287.

O artigo foi publicado na Adital em 18/04/2013. Pode ser lido também aqui.

Biblistas devem responder ou provocar questionamentos?

Falando sobre a pesquisa bíblica, escreveu, em 11 de abril de 2013, Philip R. Davies, comentando um artigo de Joel S. Baden:

A nossa responsabilidade em relação à próxima geração de estudiosos [da Bíblia] não é responder a perguntas, mas produzir mais perguntas para eles.

But in the end our responsibility to the next generation of scholars is not to answer questions (and thus remove them) but to generate more questions for them.

Fonte: Against Consensus, artigo de Joel S. Baden, Yale Divinity School, publicado em The Bible and Interpretation em abril de 2013.

Resenhas na RBL – 15.04.2013

As seguintes resenhas foram recentemente publicadas pela Review of Biblical Literature:

Gary M. Beckman, Trevor R. Bryce, and Eric H. Cline
The Ahhiyawa Texts
Reviewed by Paul Sanders

Michael F. Bird, ed.; Thomas R. Schreiner, Luke Timothy Johnson, Douglas A. Campbell, and Mark D. Nanos
Four Views on the Apostle Paul
Reviewed by Arthur J. Dewey

Markus Bockmuehl
Simon Peter in Scripture and Memory: The New Testament Apostle in the Early Church
Reviewed by Finn Damgaard

Walter Brueggemann
David and His Theologian: Literary, Social, and Theological Investigations of the Early Monarchy
Reviewed by Andrea Ravasco

James L. Crenshaw
Reading Job: A Literary and Theological Commentary
Reviewed by Norman Habel

Jonathan Grossman
Esther: The Outer Narrative and the Hidden Reading
Reviewed by Kelly A. Whitcomb

William Loader
The New Testament on Sexuality
Reviewed by Colleen M. Conway

George W. E. Nickelsburg and Michael E. Stone, eds.
Early Judaism: Text and Documents on Faith and Piety
Reviewed by David M. Maas

John J. Pilch
A Cultural Handbook to the Bible
Reviewed by Jeremiah W. Cataldo

Irene Schulmeister
Israels Befreiung aus Ägypten: Eine Formeluntersuchung zur Theologie des Deuteronomiums
Reviewed by Peter Porzig

>> Visite: Review of Biblical Literature Blog

Resenhas na RBL – 08.04.2013

As seguintes resenhas foram recentemente publicadas pela Review of Biblical Literature:

Edward Adams
Parallel Lives of Jesus: A Guide to the Four Gospels
Reviewed by Adam Winn

Lincoln H. Blumell
Lettered Christians: Christians, Letters, and Late Antique Oxyrhynchus
Reviewed by Thomas J. Kraus

Miguel A. De La Torre
Genesis
Reviewed by John E. Anderson

Yitzhaq Feder
Blood Expiation in Hittite and Biblical Ritual: Origins, Context, and Meaning
Reviewed by William L. Lyons

Donald H. Juel; Shane Berg and Matthew L. Skinner, eds.
Shaping the Scriptural Imagination: Truth, Meaning, and the Theological Interpretation of the Bible
Reviewed by Ernest van Eck

Bo H. Lim
The ‘Way of the LORD’ in the Book of Isaiah
Reviewed by Wilhelm J. Wessels

B. H. McLean
Biblical Interpretation and Philosophical Hermeneutics
Reviewed by Akio Ito

Francis J. Moloney
The Gospel of Mark: A Commentary
Reviewed by Timothy Gombis

Daniel Polz
Der Beginn des Neuen Reiches: Zur Vorgeschichte einer Zeitenwende
Reviewed by Roberto B. Gozzoli

Stephen C. Russell
Images of Egypt in Early Biblical Literature: Cisjordan-Israelite, Transjordan-Israelite, and Judahite Portrayals
Reviewed by Christopher Hays

>> Visite: Review of Biblical Literature Blog

Exegese, Teologia e Pastoral: relações, tensões e desafios

Exegese, Teologia e Pastoral: relações, tensões e desafios: este é o tema do IV Simpósio de Teologia da PUC-Rio, que será realizado nos dias 15 a 17 de maio de 2013, nas dependências da Universidade.

1. Conferências maiores:
Serão desenvolvidas com os seguintes temas e conferencistas:

  • Exegese e Teologia Bíblica, por H. Simian-Yofre, professor emérito do Pontifício Instituto Bíblico, Roma
  • Exegese, teologia e hermenêutica, por C. Carbullanca, professor da Universidade Católica do Chile
  • Teologia sistemática e exegese, por Maria Carmen Aparicio Valls, professora da Pontifícia Universidade Gregoriana, Roma
  • Bíblia, Cultura e Nova Evangelização, por Mario Cimosa, professor da Pontifícia Universidade Salesiana, Roma

2. Mesas temáticas:

  • Bíblia e Pastoral Bíblica: Tereza Maria Pompéia Cavalcanti, Carlos Mesters, Francisco Orofino, Leonardo Agostini Fernandes
  • Bíblia e Cristologia / Eclesiologia: Alfonso García Rubio, Ana Maria de Azeredo Lopes Tepedino, José Otácio Oliveira Guedes
  • Bíblia e Graça / Escatologia: Mario de França Miranda, Lina Boff, Maria de Lourdes Corrêa Lima
  • Bíblia e Direito: Jesús Hortal, Ricardo Lengruber, Isidoro Mazzarolo

3. Mini-cursos:

  • Animação bíblica da pastoral: Johan Konings (Faje)
  • Hermenêutica bíblica: Luís Henrique da Silva (PUC-MG / Faje)
  • Bíblia e diálogo inter-religioso: Valmor da Silva (PUC-GO)
  • O Saltério no Novo Testamento: Matthias Grenzer (PUC-SP)

4. Comunicações:
Considerado o tema central do Simpósio, Exegese, Teologia e Pastoral: relações, tensões e desafios, serão desenvolvidos oito eixos temáticos…

Visite a página do Simpósio e saiba mais. Conheça o Departamento de Teologia da PUC-Rio.

Campo de comentários do Google+ em blogs do Blogger

O Blogger recebeu um widget de comentários do Google+. Quem quiser poderá adicionar o widget dos comentários do Google+ no seu blog indo à aba “Google+” no painel de configuração. Os comentários antigos continuarão sendo exibidos, mas o formulário fica modificado, pronto para a rede social do Google…

Mas, antes de adicionar este widget, leia o artigo de Marcos Elias Picão no Hardware.com.br:  Blogs no Blogger agora podem usar campo de comentários do Google+

Ele explica que:
Há uma característica que pode ser muito boa ou muito ruim, dependendo do ponto de vista do dono do blog. Os comentários podem ser marcados como públicos ou restritos a determinados círculos de pessoas. Isso é controlado por quem comenta. Essa personalização torna o negócio mais “social”, facilitando a divulgação dos posts entre os contatos dos usuários, o que pode aumentar as visitas. Por outro lado alguns comentários podem ficar ocultos e jamais serem vistos pelos visitantes do site e/ou até mesmo pelo administrador do blog. Há de se considerar isso ao migrar para os comentários via Google+.

Como fazer o download de meus tweets?

Os usuários do Twitter já podem baixar todos os tweets próprios. Assim vai ficar mais fácil relembrar tudo o que foi postado caso um dia o serviço feche ou você simplesmente decida encerrar a conta. Esta opção está no final da tela de configurações.

Saiba mais sobre isto, lendo o post de Marcos Elias Picão, de 17/12/2012, no Hardware.com.br: Twitter começa a liberar download de todos os tweets do seu perfil.

Nova versão do livro Hardware, de Gabriel Torres

TORRES, G. Hardware – Versão Revisada e Atualizada. Rio de Janeiro: Nova Terra, 2013, 920 p. – ISBN 9788561893217.

Diz a editora:
Gabriel Torres, está relançando, através da parceria com a Editora Nova Terra, o seu principal livro e que o tornou uma referência absoluta na área: Hardware – Versão Revisada e Atualizada. Na obra, Gabriel apresenta um conteúdo completamente revitalizado, onde o leitor aprenderá, com profundidade, tudo o que precisa saber sobre o tema, seja ele um estudante, autodidata ou profissional da área de informática / Tecnologia da Informação (TI) querendo se atualizar. O livro também é importante para os usuários que desejam aprender mais sobre o funcionamento dos computadores.

Entre outros assuntos, o leitor aprenderá a ter uma visão aprofundada e completa sobre o funcionamento dos processadores usados no PC, incluindo os últimos lançamentos; como é o funcionamento dos sistemas de paginação e memória virtual; o que é e como funciona a técnica de virtualização; aprenda sobre a arquitetura ARM de microprocessadores; tipos e tecnologias de memórias, incluindo memórias flash NAND e NOR, memórias DDR3 e memórias GDDR5; tudo o que você precisa saber sobre placas-mãe, incluindo todos os tipos de slots de expansão e portas de comunicação; detalhes sobre o funcionamento do circuito regulador de tensão de placas-mãe e placas de vídeo; como funciona a aceleração 3D e recursos para a melhoria da qualidade de imagem; conheça todos os tipos de conexão de vídeo, incluindo VGA, DVI, HDMI, DisplayPort e Thunderbolt; como unidades de armazenamento como discos rígidos, unidades ópticas e SSDs funcionam; funcionamento do áudio digital; detalhes aprofundados sobre o funcionamento da fonte de alimentação do computador. O livro pode ser comprado na Editora Nova Terra ou na Livraria Cultura.

Gabriel Torres é um dos mais renomados especialistas brasileiros em hardware e redes de computadores, além de autor best-seller na área, tendo outros 21 livros publicados. É editor-chefe do site do Clube do Hardware (1996) e mantém, em inglês, o Hardware Secrets (1999).

A luta pela terra no Brasil no século XXI

A questão da terra no Brasil está sempre em pauta nas agendas: do governo, da sociedade civil organizada, dos especuladores imobiliários, latifundiários, lobistas, grandes empresários, pecuaristas, madeireiros, tornando difícil a resolução de problemas, como o da reforma agrária, a demarcação de territórios indígenas, dos quilombolas e ribeirinhos, do meio-ambiente…

Algumas leituras recentes:

:: ”Documento sobre a questão agrária só deverá ser aprovado em 2014”, diz bispo
Durante a entrevista coletiva desta 51ª Assembleia Geral da CNBB, em Aparecida (SP), o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz, Dom Guilherme Werlang, recordou o tema da questão Agrária no início do século XXI, que está em discussão no evento. “Em 2010 o assunto foi apresentado à Igreja num documento de estudos”, disse o bispo, que recordou a atuação da Igreja neste segmento (…) O bispo enfatizou que “o texto é urgente e necessário, e os bispos precisam dar uma palavra contundente sobre a questão agrária. Nós percebemos, porém, que não teríamos condições de finalizar o trabalho nesta Assembleia”. Por isso, foi decidido que o texto seja melhorado ao longo do ano de 2013, e aprovado finalmente na Assembleia de 2014. Dom Guilherme recordou outros temas que também serão abordados pelo documento. “Nós vamos trabalhar a questão da água também, que não está desvinculada da questão da terra e da mineração. Nós sentimos que há uma necessidade da sociedade como um todo repensar também esta questão e não mercantilizar a água”. A informação foi publicada pelo Boletim da CNBB – 15/04/2013.

:: ”Reforma agrária não foi prioridade de nenhum dos governos democráticos”
Em sua participação na coletiva de imprensa da sexta-feira, 12 de abril, o bispo de Balsas (MA) e presidente da Comissão Pastoral da Terra (CPT), dom Enemesio Angelo Lazzaris falou sobre a apresentação do Documento “A Igreja e a questão agrária no Século XXI”. Dom Enemesio explicou que o Documento é uma continuidade das reflexões que a CNBB tem feito ao longo dos anos. E citou o ano de 1954, quando se realizou a 2ª Assembleia Geral dos Bispos e cujo tema central foi a “Reforma Agrária”, o bispo também lembrou o ano de 1980 quando na 18ª AG o tema foi “Igreja e problemas da terra” e mais recentemente, em 2006, quando foi lançado o Documento “Os pobres possuirão a terra”. Dom Enemesio ressaltou que o Documento apresentado na 51ª AG composto por um breve histórico, quatro capítulos e conclusão “quer fazer entender de maneira crítica as velhas e novas razões do sofrimento e da violência que marcam e ensanguentam a nossa terra hoje talvez mais que ontem”. E reforçou dizendo que “de maneira clara o documento faz entender que a sempre prometida Reforma Agrária não foi prioridade de nenhum dos governos democráticos, menos ainda do governo atual”. O bispo fez uma alerta para a situação opressora que se encontram os povos indígenas, quilombolas, sem terras e escravizados do campo, que estão em condições degradantes. “Precisamos atuar, precisamos anunciar as coisas boas, mas precisamos denunciar as tantas formas de opressão, os gritos, as injustas que este povo sofre”.  A reportagem está no site da CPT e foi publicada em 15/04/2013.

:: A concentração de terra estimula a violência e a impunidade. Entrevista especial com Frei Henri B. des Roziers
“O julgamento que condenou os autores do assassinato de José Cláudio e Maria do Espírito Santo, mas absolveu o o suposto mandante é escandaloso e absurdo do ponto de vista jurídico”, diz o advogado e frei dominicano. “A violência no campo continua por causa da histórica e escandalosa concentração de terra, do modelo de desenvolvimento que privilegia o agronegócio, e da impunidade”. A entrevista foi publicada por IHU On-Line em 16/04/2013.

:: Ruralistas intensificam ofensiva contra povos indígenas em ações por todo o país através da PEC 215
A ofensiva do setor ruralista contra os povos indígenas está a todo vapor em um ano que antecede outro, o eleitoral, período dos mais emblemáticos para o país. Depois de o governo federal estancar a reforma agrária e dos parlamentares alterarem o Código Florestal, uma série de campanhas, protestos, audiências públicas, ações institucionais e busca por cadeiras e mesas em comissões no Congresso Nacional nutrem um único objetivo: desconstruir os direitos indígenas pela terra e paralisar a já quase inexistente demarcação de territórios de ocupação tradicional. A reportagem é de Renato Santana e foi publicada pelo portal do Cimi em 15/04/2013.

:: Líderes se reúnem em Brasília para discutir projetos contrários aos povos indígenas
Preocupados com as propostas legislativas e do Poder Executivo que, a seu ver, constituem uma ameaça aos direitos indígenas, representantes de povos de diversas etnias estão reunidos em Brasília, onde, entre hoje (15) e sexta-feira (19), ocorre o Abril Indígena. A expectativa é reunir 700 líderes indígenas ao longo da semana. Segundo o Conselho Indigenista Missionário (Cimi)… o encontro é um dos mais importantes eventos anuais do segmento. Este ano, a preocupação é chamar a atenção da sociedade para propostas em andamento no Congresso e que podem ameaçar direitos indígenas fundamentais, como a proposta de emenda à Constituição (PEC) que pretende transferir para o Congresso Nacional a palavra final sobre a demarcação de terras indígenas, quilombolas e de áreas de conservação ambiental. A reportagem é de Alex Rodrigues e foi publicada pela Agência Brasil em 15/04/2013.

Leia Mais:
A luta pela terra e sua representação na mídia