A opção preferencial contra os pobres

O horror e a opção preferencial contra os pobres – Maria Inês Nassif: Carta Maior – 24/01/2012

“É o horror. Nada mais precisa ser dito para descrever a operação de despejo de Pinheirinho, em São José dos Campos, e a ação policial contra os usuários de crack no centro da capital, na chamada Cracolândia. Mas existem muitas explicações para a truculência, a desumanidade, a destituição do direito de cidadania aos pobres pelo poder público paulista.

A primeira delas é tão clara que até enrubece. Nos dois casos, trata-se de espantar o rebotalho urbano de terrenos cobiçados pela especulação imobiliária (…) A segunda é de ordem ideológica. Desde a morte de Mário Covas, que ainda conseguia erguer um muro de contenção para o PSDB paulista não guinar completamente à direita, não existe dentro do partido nenhuma resistência ao conservadorismo (…) Outra análise que deve ser feita é a da banalização da desumanidade. Conforme a sociedade brasileira foi se polarizando politicamente entre PSDB e PT, a questão dos direitos humanos passou a ser tratada como um assunto partidário. O conservadorismo despiu-se de qualquer prurido de defender a ação policial truculenta, de tomar como justiça um Judiciário que, nos recantos do país, tem reiterado um literal apoio à propriedade privada, um total desprezo ao uso social da propriedade e legitimado a ação da polícia contra populações pobres…”

Leia o texto completo.

Enquanto isso, supersalários de magistrados variam de R$ 40 mil a R$ 150 mil ao mês, segundo Felipe Recondo e Fausto Macedo em O Estado de S. Paulo (24/01/2012). No Rio. Só.

Leia Mais:
Reintegração no interior de SP leva famílias a abrigos precários – Folha.com: 24/01/2012 – 08h06

Cássio: Diário do Seminário no Bíblico 23.01.2012

Sobre o Seminário para professores de Bíblia que começou ontem, dia 23, no PIB – Pontifício Instituto Bíblico – em Roma, escrevi dois posts:
. PIB cria seminário para professores de Bíblia – 05/06/2011
. Programa do seminário do Bíblico para professores – 10/11/2011

Cássio Murilo Dias da Silva, Doutor em S. Escritura pelo Bíblico, Professor da FTCR da PUC-Campinas, está participando, e se dispôs a fazer um relato diário do que está acontecendo no seminário para publicação no blog.

O seu primeiro relato, via e-mail, é o seguinte:

Hoje finalmente começamos o curso de atualização para professores de Sagrada Escritura, no Bíblico [o programa pode ser visto aqui].

Na parte da manhã, José Luis Sicre apresentou um panorama dos últimos 20 anos de estudo de profetismo.

Por que 20 anos? Porque faz 20 anos que ele lançou na Espanha, em 1992, seu livro Profetismo em Israel: O Profeta, os Profetas, a Mensagem [veja post anterior] e agora, na Espanha, saiu uma “segunda edição”, totalmente refeita e com novo título: Introducción al profetismo bíblico. Estella (Navarra): Verbo Divino, 2012, 528 p. – ISBN 9788499452470.

Sicre distribuiu material impresso, dividido em duas partes:
:: uma longa bibliografia atualizada
:: várias páginas de esquemas, cujos títulos principais são:
. formas de adivinhação (indutiva e intuitiva)
. a profecia no Antigo Oriente Médio
. o caos inicial (na compreensão dos profetas)
. desenvolvimento posterior (judaísmo, Igreja primitiva, séculos XIX-XX) e caos atual
. formação dos livros proféticos (porque se escreve, quem escreve, os editores)

Boa parte destes pontos é discutida nos livros citados acima.

Na parte da tarde, foram apresentados três seminários temáticos:
:: A problemática da crítica textual na coleção dos 12 profetas menores
(Prof. G. Rizzi)
:: O livro de Jonas segundo a metodologia narrativa (Prof. J.-P. Sonnet)
:: A composição do livro dos 12, principalmente a relação entre Joel a
Amós (Prof. M. Scandroglio)

Participei do último, sobre a composição do livro dos 12. Esquema geral da apresentação:
. linhas fundamentais da exegese atual dos profetas menores
. da exegese recente sobre os profetas menores à nossa pesquisa
. Joel 4,4-8: análise da seção, análise redacional
. Amós 1,3-2,16: análise da seção, análise redacional
. Joel 4,4-8 como elo redacional entre Joel 4 e Amós 1-2
. perguntas e debate

Quanto ao material, algumas coisas: Sicre colocou à disposição os slides que usou em sua apresentação. Alguém sugeriu que ele colocasse on-line no site do Bíblico, mas não sei se o fará. Scandroglio distribuiu algumas páginas, mas nenhum arquivo. Por outro lado, recebemos via e-mail alguns resumos do que pretendem os professores em seus seminários.

Leia Mais:
Diário do Seminário no Bíblico – 24.01.2012 – Segundo dia
Diário do Seminário no Bíblico – 25.01.2012 – Terceiro dia
Diário do Seminário no Bíblico – 26.01.2012 – Quarto dia
Diário do Seminário no Bíblico – 27.01.2012 – Quinto dia
Brasileiros no Seminário do Bíblico 2012 – Currículos e fotos

Sicre: nova edição da introdução ao profetismo

SICRE DÍAZ, J. L. Introducción al profetismo bíblico. Estella (Navarra): Verbo Divino, 2012, 528 p. – ISBN 9788499452470.

Esta é uma edição totalmente revista do livro Profetismo em Israel: O Profeta, os Profetas, a Mensagem. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2008, 540 p. – ISBN 8532615880. Publicado em 19/01/2012. Diz o autor no prólogo a esta edição:

“Desde 1992, fecha de su publicación, Profetismo en Israel ha tenido siete reediciones sin cambio alguno. Hace tres años vi la necesidad de actualizar la bibliografía y, sobre todo, de tener en cuenta las últimas tendencias en la exégesis de los profetas. Comencé la labor, y al cabo de unos meses la abandoné. No por el enorme esfuerzo que suponía recoger gran cantidad de datos nuevos, sino porque el libro necesitaba una revisión profunda. A petición de Guillermo Santamaría, director de Verbo Divino, volví a plantearme la tarea y creo haber encontrado la solución que me deja relativamente tranquilo. El mayor cambio en el estudio del profetismo durante las últimas décadas ha sido el paso del interés por los profetas (Isaías, Jeremías, etc.) al interés por los libros. La reconstrucción de las vidas de los profetas, tan típica del siglo pasado, es juzgada ahora como una labor muy subjetiva, sin base histórica cierta; además, no permite explicar el libro o el escrito atribuido a un profeta, ya que la mayor parte del mismo procede de autores posteriores [sublinhado meu]. En este sentido, el mayor fallo de la primera edición de Profetismo en Israel es que no trata los libros proféticos, opción que tomé para no alargar más la obra. He procurado subsanarlo en esta segunda edición. Ahora adquieren mucho más protagonismo los personajes anónimos (discípulos, escribas, cantores, editores) que tuvieron parte esencial en la redacción de los libros proféticos. Al mismo tiempo, al hablar del profeta incluyo datos sobre el libro actual que lleva su nombre. Cosa fácil cuando se trata de un escrito breve, más complicada cuando abordamos libros tan complejos como los de Isaías, Jeremías y Ezequiel (Roma y Granada, octubre 2011)”.

José Luis Sicre Díaz (Cádiz, 1940) es profesor emérito de la Facultad de Teología de Granada, del Pontificio Instituto Bíblico de Roma y de la Facultad de Teología de San Miguel (Buenos Aires). Es autor de numerosos artículos y de diversas obras relacionadas con los estudios bíblicos.