O Império e o Irã

Penso que o caso do Irã ainda vai render, porque o motivo da contenda é geopolítico e um Império que tem o poder do Armagedon na ponta dos dedos não vai desistir fácil.

Muitas casos ainda serão contados, mas, já que estamos envolvidos, não devemos perder a memória das coisas…

:: O Império visa as rotas do petróleo

:: Israel está preparado para guerra com Irã, diz vice de Netanyahu – Folha Online: 10/05/2010 – 12h47

:: Irã, Turquia e Brasil chegam a acordo, diz chanceler turco – Folha Online: 16/05/2010 – 18h28

:: Sarkozy agradece a Lula por ajuda na libertação de francesa detida no Irã – Folha Online: 16/05/2010 – 11h52

:: Iran ‘agrees’ nuclear fuel swap – Al Jazeera

:: Há um milhão de razões para se construir a paz e nenhuma para a guerra, diz Lula sobre as negociações com o Irã – Folha Online

:: Se, infelizmente, o acordo com o Irã der certo, a culpa é de quem? Do Lula, charlam certas aves – Cf. o Blog do Emir

:: A indisposição ocidental com o Irã tem raízes geopolíticas e não nucleares, diz consultor da AIEA – Opera Mundi

:: O ceticismo é daqueles que não querem que haja acordo com o Irã, diz Marco Aurélio Garcia – BBC Brasil

:: Peres promised open peace talks if Syria cuts Iran ties – Haaretz

:: Assad: Reality proves Israel is not interested in peace and there is therefore nothing more to say – Haaretz

:: O ressentimento da velha mídia brasileira com o sucesso de Lula no Irã – Leandro Fortes, em Brasília, eu vi

:: Quem saiu fortalecido foi o Brasil. Sem opção, EUA tentam desqualificá-lo – Deutsche Welle

:: Antes de acordo, Obama disse a Lula que tratado nuclear com Irã criaria confiança – Folha Online: 21/05/2010 16h26

:: É válido o argumento israelense de que mantém seu arsenal nuclear com responsabilidade? Folha.com 23/05/2010 – 22h01

:: U.S. Is Said to Expand Secret Actions in Mideast – The New York Times – By Mark Mazzetti – May 24, 2010

 

Estão lembrados de que Bush cogitava invadir o Irã em 2006? Refrescando a memória:

:: Neste restinho de milênio não dá para fazer mais nada que seja humano?

:: EUA amenizam denúncias sobre possível ataque ao Irã

:: Quem ganha com o caos criado por Israel no Líbano?

:: Por que Israel massacra civis libaneses com o consenso de Bush? O alvo é o Irã

:: Leitores elegem Estados Unidos maior ameaça à segurança do mundo

A Bíblia e a homossexualidade

O Professor James F. McGrath, da Universidade Butler, Indianápolis, e do biblioblog Exploring Our Matrix, publicou hoje em um post um significativa coleção de links sobre o tema Bíblia e homossexualidade.

Diz ele que os links apontam para textos que abordam o tema sob vários pontos de vista. E isto é importante, pois o tópico, muitas vezes, produz forte polêmica e ferrenha polarização.

Em suas palavras:
My Sunday school class has been discussing the topic of homosexuality, and we’ve reached the point where we are ready to take a close look at the New Testament passages that are potentially relevant to the topic. I’ve blogged about this subject here before, but want to offer links to web resources which reflect differing views, which can provide basis for discussion in the class.

Leiam: The Bible and Homosexuality: Resources for Sunday School discussion

Em português, podem ser lidos, além de outras fontes, dois números da revista IHU On-Line:
:: Edição 199, de 09/10/2006: Os desafios da diversidade sexual
:: Edição 253, de 07/04/2008: Uniões homoafetivas. A luta pela cidadania civil e religiosa

Jim West e a lista de discussão Biblical Studies

Jim West está convidando os interessados em estudos bíblicos para se inscreverem na lista Biblical Studies.

Esta lista discute especialmente as questões ligadas à interpretação bíblica e aos instrumentos metodológicos usados. Funciona com bom nível de discussão acadêmica desde 1999.

Os moderadores da Biblical Studies são: Niels Peter Lemche, Stephanie Louise Fisher, Emanuel Pfoh, Chris Tilling e Jim West.

Observo, a modo de atualização em 19.10.2019: com a desativação do Yahoo! Groups, a lista deve continuar no Facebook, onde já funcionava. Clique aqui.

Welcome to the Biblical Studies Discussion list Homepage. The Bible is our focus, and those methodological tools which bear on its interpretation.

 

Sobre a interrupção do serviço Yahoo! Groups em 2019

O Yahoo! vai desativar o seu serviço de grupos, o Yahoo! Groups, e deletar todo o conteúdo dos arquivos. Uma verdadeira relíquia da internet, o Yahoo! Groups foi um precursor de fóruns temáticos como o Reddit, que trazem espaços para discussões sobre todo tipo de assunto. A desativação e apagamento do Yahoo! Groups vai valer a partir do dia 14 dezembro de 2019. Depois dessa data, será possível navegar pela lista de grupos, mas não acessar os seus conteúdos.

Starting December 14, 2019 Yahoo Groups will no longer host user created content on its sites. New content can no longer be uploaded after October 28, 2019. Sending/Receiving email functionality is not going away, you can continue to communicate via any email client with your group members.

Jim West enviou o seguinte email para os membros do grupo:

I’ve just sent this email to the biblical studies email list:

Yahoo is closing Groups-

Consequently, this group, without any say in the matter, will end when Yahoo shuts it off.

I suggest those interested in discussions on matters biblical studies join the facebook group for our list https://www.facebook.com/groups/950335828332216/

Yahoo hasn’t explained why they are taking this action- here’s the report- https://news.yahoo.com/2019-10-16-yahoo-groups-to-shut-down.html

I hope to see you over on the facebook. And I’ve enjoyed the several decades we’ve had together here. I genuinely hope we can continue on the other platform.

Yours always

Jim

As Cartas de Tell el Amarna transliteradas

O que são as Cartas de Tell el-Amarna? Veja aqui e aqui.

Diz Shlomo Izre’el em The Amarna Tablets:
“The Amarna tablets are named after the site Tell el-Amarna (in middle Egypt) where they were discovered. The first Amarna tablets were found by local inhabitants in 1887. They form the majority of the corpus. Subsequent excavations at the site have yielded less than 50 out of the 382 itemized tablets and fragments which form the Amarna corpus known to date. The majority of the Amarna tablets are letters. These letters were sent to the Egyptian Pharaohs Amenophis III and his son Akhenaten around the middle of the 14th century B.C. The correspondents were kings of Babylonia, Assyria, Hatti and Mitanni, minor kings and rulers of the Near East at that time, and vassals of the Egyptian Empire. Almost immediately following their discovery, the Amarna tablets were deciphered, studied and published. Their importance as a major source for the knowledge of the history and politics of the Ancient Near East during the 14th Century B.C. was recognized. The tablets presented several difficulties to scholars. The Amarna tablets are written in Akkadian cuneiform script and present many features which are peculiar and unknown from any other Akkadian dialect. This was most evident in the letters sent from Canaan, which were written in a mixed language (Canaanite-Akkadian). The Amarna letters from Canaan have proved to be the most important source for the study of the Canaanite dialects in the pre-Israelite period”.

Continue a ler sobre esta Electronic version of the Amarna tablets.