Descoberta dos Manuscritos do Mar Morto faz 60 anos

Atualizado em

A descoberta dos Manuscritos do Mar Morto está fazendo aniversário: 60 anos.

 

Grutas de QumranNo fim de 1946 (novembro ou dezembro) os ta’amireh estão pastoreando seus rebanhos em Ain Feshka, oásis próximo ao Mar Morto. Três pastores, Khalil Musa, Juma Mahoma Khalil e Mahoma Ahmed el-Hamed, cognominado ed-Dib (o lobo), descobrem em uma das grutas da região uns jarros de argila e em um deles três rolos. O relato dos beduínos é impreciso, mas estes rolos devem ser o manuscrito de Isaías (1QIsa), a Regra da Comunidade (1QS) e o Comentário de Habacuc (1QpHab).

Em março de 1947 os beduínos deixam os três rolos com o antiquário de Belém Abraham Iylia que, temendo terem sido roubados de alguma sinagoga, os devolve no dia 5 de abril.

No começo do verão de 1947 os ta’amireh encontram mais quatro rolos na mesma gruta. Três deles são vendidos a E. L. Sukenik, reitor da Universidade Hebraica de Jerusalém, no dia 29 de novembro de 1947. Estes três textos serão identificados mais tarde como os Cânticos de Louvor (1QH), a Regra da Guerra (1QM) e um texto fragmentário do livro de Isaías (1QIsb).

No dia 19 de julho de 1947 o mosteiro de São Marcos adquire os outros quatro manuscritos dos beduínos por cerca de 97 dólares. São cinco rolos, mas apenas quatro textos. A “Regra da Comunidade” está partida em dois rolos. O quarto rolo é o Gênesis apócrifo (1QapGn).

Leia a história toda em Os essênios: a racionalização da solidariedade.

Print Friendly, PDF & Email

1 comentário em “Descoberta dos Manuscritos do Mar Morto faz 60 anos”

  1. Caro Airton ,
    Achei agora o seu ” Blogger :observatório biblico”, e por providência estou em Jerusalem e hoje fui visitar O Museu ou santuário do Livro,onde tive a grande oportunidade de ver Os Manuscritos do Mar Morto . Está em exposição pela primeira vez o livro de Isaias. Não a réplica, mas o “original”, ou seja o Manuscrito encontrado em uma ds grutas e estará exposto somente até o próximo mes.
    Grande Abraço,
    Maria de Lurdes

Deixe um comentário