SOTER 2016: Tempos do Espírito – inspiração e discernimento

A SOTER – Sociedade de Teologia e Ciências da Religião – comunica que seu 29º Congresso Anual terá como tema Tempos do Espírito: inspiração e discernimento e será realizado no campus Coração Eucarístico da PUC-Minas, em Belo Horizonte, de 12 a 14 de julho de 2016.

O tema escolhido tem como objetivo colocar em pauta, para debate e reflexão, a situação atual da religião e os movimentos religiosos de tendência pentecostal e o crescente fenômeno de desinstitucionalização do cristianismo.

Leia Mais:
Congressos e publicações da SOTER

Paulo de Tarso, Marx e a crítica da lei

HINKELAMMERT, F. J. A maldição que pesa sobre a lei: as raízes do pensamento crítico em Paulo de Tarso. São Paulo: Paulus, 2012, 328 p. – ISBN 9788534934169.

A maldição que pesa sobre a lei

No âmago deste livro se encontra a análise da presença de Paulo em Marx e a crítica da lei feita por Paulo. A estrutura da crítica da lei de Paulo e a de Marx são semelhantes. A lei a que ambos se referem tem um núcleo comum: em Paulo, é a lei romana; em Marx, a lei do mercado. Organizada em três partes, a obra tem dez capítulos.

O original, em espanhol, é: La maldición que pesa sobre la ley: las raíces del pensamiento crítico en Pablo de Tarso. 2. ed. ampliada. San José de Costa Rica: Editorial Arlekín, 2013, 343 p. – ISBN 9789977831633 [primeira edição: 2010].

La maldición que pesa sobre la ley

 

No Prólogo do livro, na primeira edição, em espanhol, diz Hinkelammert:

En el presente libro este análisis de la presencia de Pablo en Marx es el centro del conjunto de los artículos presentados.

En el centro de este conjunto, sin embargo, están dos capítulos, que se refieren al análisis de Pablo. Uno con el título “El juego de las locuras” y el otro siguiente “La maldición que pesa sobre la ley”. Ambos forman una unidad de análisis, en cuyo centro se encuentra la crítica de la ley de parte de Pablo.

Del análisis de estos dos capítulos resulta que, efectivamente, el pensamiento de Pablo está presente en toda la crítica de la ley que hace Marx. La estructura de la crítica de la ley de Pablo y la de Marx resultan idénticas. Eso se hace evidente en el análisis de la carta de los romanos. La ley a la cual ambos se refieren tiene un núcleo común: en Pablo es la ley romana; en Marx, la ley del código civil. Para los efectos de la crítica de la ley no se distinguen.

Podemos mencionar dos elementos claves de esta crítica.

Primero: Se trata del concepto de pecado que Pablo tiene. Pablo distingue entre el pecado y los pecados. Los pecados violan la ley. Sin embargo, el pecado se comete cumpliendo la ley. Y este es el pecado del cual Pablo trata en su crítica de la ley. Este concepto básico es también la base de la crítica de la ley de parte de Marx. Marx amplía esta crítica de la ley hacia la crítica de la ley del valor como ley de los mercados. Su crítica es la denuncia de la opresión y la explotación, que aparecen al ser cumplida la ley. Por tanto, los denuncia como crímenes que se cometen cumpliendo la ley. Son crímenes protegidos por los aparatos de justicia y de la policía. Eso es el centro de la crítica del capitalismo de parte de Marx. Sin embargo, la argumentación es la misma que en Pablo.

Segundo: Pablo denuncia la ley en cuanto se considera el cumplimiento de la ley como la justicia. El pecado ya en Pablo conlleva un problema ideológico. Quien considera la justicia como resultado del cumplimiento de la ley, produce la injusticia. La ley, al ser considerada su cumplimiento como instrumento de la justicia, se transforma en su contrario: según las palabras de Pablo, siendo ley de Dios se transforma en ley del pecado. El crimen que se comete aparece ahora como resultado de la propia justicia. Este mismo fenómeno aparece en el análisis de Marx y lo llama el fetiche o el fetichismo. Su concepto de ideología se basa en esta teoría del fetichismo. Al considerar el cumplimiento de la ley y, por tanto, de la ley del valor como acto de justicia, los crímenes que se cometen en cumplimiento de la ley ya no parecen ser crímenes sino sacrificios necesarios del progreso.

Estos dos elementos son la clave de la crítica de la ley y resulta bastante obvio que la crítica de la ley de parte de Pablo es una prefiguración – un Bild – de la crítica de la ley que Marx va a hacer. Por eso Marx no hace una copia, sino un desarrollo hacia una universalidad que otra vez va más allá del propio Pablo. Pero la raíz está en Pablo.

Sin embargo, hay una gran diferencia entre las posiciones de Pablo y de Marx. Esta se hace presente en sus concepciones de la solución…

Uma apresentação da obra, feita por Hugo Amador Herrera Torres, em espanhol, pode ser lida em:

HERRERA TORRES, H. A. La maldición que pesa sobre la ley: Las raíces del pensamiento crítico en Pablo de Tarso. Argumentos, México, v. 27, n. 75, p. 249-253, 2014.

Quem é Franz J. Hinkelammert? Confira aqui e aqui.

Uma história da Teologia da Libertação

CHEZA, M. et alii Dictionnaire historique de la théologie de la libération. Namur: Lessius, 2017, 656 p. – ISBN 9782872993130.

CHEZA, M. et alii Dictionnaire historique de la théologie de la libération. Namur: Lessius, 2017, 656 p.

 

Dicionário conta história da Teologia da Libertação

Cristina Fontenele – Adital – 15.12.2015

Escrito quase na totalidade por teólogos latino-americanos, está em finalização o Dicionário Histórico da Teologia da Libertação (TdL), que será lançado para o mundo francófono (Europa e Canadá), pela editora belga Lessius, com o apoio de professores eméritos. Com previsão para setembro do próximo ano, a obra será produzida nas versões francês, castelhano, português e inglês. O trabalho, que já dura três anos, tem o objetivo de apresentar um panorama da evolução da TdL desde o seu surgimento, na época do Concílio Vaticano II [1965], até os dias atuais.

Luis Martínez, teólogo chileno que vive em Bruxelas, na Bélgica, e um dos coordenadores do projeto, explica que o dicionário está organizado em três grandes blocos. A primeira parte desenvolve 10 temas principais da TdL, como, por exemplo, o tema Libertação, que foi escrito por Leonardo Boff; Cristologia, pelo teólogo Jorge Costadoat, de Santiago [Chile]; e comunidades de base, por Socorro Martínez, da Ameríndia. “A Gutiérrez [Gustavo Gutiérrez, considerado o pai da TdL] não pedimos nada, o deixamos tranquilo, mas ele está muito presente em todo o dicionário. Há uma nota bibliográfica, a maior, sobre ele, assim como a de Boff.”

Martínez, por sua vez, escreveu uma nota sobre o sacerdote chileno Ronaldo Muñoz. “Ele foi meu professor, estudamos Teologia e fundamos juntos a Comunidade Teológica do Sul. Em geral, quem escreveu sobre alguém é porque o conhecia”.

Em um segundo bloco, o livro faz um desenvolvimento geográfico da TdL por país e, na terceira parte, são apresentadas em torno de 150 biografias, entre bispos, teólogos, mártires e laicos, que acompanharam a TdL e a mantiveram com sua prática. Este último bloco é precedido de uma introdução histórica, com os obstáculos, as resistências e as conquistas alcançadas pela TdL. Martínez relata que praticamente todos os teólogos presentes no II Congresso de Teologia da Ameríndia, realizado em Belo Horizonte, em outubro deste ano, escreveram algum verbete para o dicionário. “90% da obra foi escrita por teólogos latino-americanos, que falam sobre os próprios colegas e sua realidade. É como escutar uma família falando dela mesma”.

Com a chegada de Papa Francisco, Martínez destaca que a Teologia da Libertação volta a ser “posta sobre a mesa”, quando era creditada por muitos como uma Teologia “morta”. A principal expectativa com o lançamento do Dicionário é, de acordo com o teólogo, apresentar ao resto do mundo um caminho sólido percorrido pela América Latina, a partir da grande recepção do Concílio, sobretudo, à Igreja europeia.

II Congresso Continental de Teologia

Igreja que caminha com Espírito e a partir dos pobres”, é o tema do II Congresso Continental de Teologia, organizado por Amerindia, que ocorrerá em Belo Horizonte, Brasil, de 26 a 30 de outubro de 2015, na Casa de Retiros São José e no ISTA.

Diz o site do Congresso:

La teología en América Latina se concibe a sí misma como inteligencia crítica de la experiencia de fe de las comunidades eclesiales y de su misión, insertas en un mundo globalizado y excluyente. Se siente llamada a ser una instancia en la cual se retroalimenten estas comunidades, acompañándolas a asumir los retos y las interpelaciones de las sociedades que transitan por profundos conflictos y transformaciones.

En este sentido, el I Congreso Continental de Teología,en 2012, quiso y logró movilizar a la comunidad teológica latinoamericana y tuvo como destinatarios principales ateólogos y teologas jóvenes que, en un trabajo de mutuo enriquecimiento, pudieran continuar la reflexión iniciada. El II Congreso Continental de Teología, en 2015, pretende continuar esta movilización, en un momento eclesial nuevo que ha generado cambios en la agenda pastoral y teológica universal. Momento que se caracteriza por el reclamo de una impostergable reforma de la Iglesia y que trae consigo la necesidad de profundizar seriamente en sus raíces, contenidos y sujetos. A su vez, dicho reclamo surge de la experiencia vivida por las comunidades cristianas más comprometidas en sus respectivos contextos y que el mismo papa Francisco ha hecho suyo para proponerlo con fuerza y claridad a toda la Iglesia. Por eso este Congreso tiene como destinatarios no sólo a los/as teólogos/as profesionales sino también a las comunidades cristianas del Continente, con el objetivo de enriquecer y motivar la práctica de los cristianos en su horizonte inmediato y en su participación en las respectivas Iglesias locales (…).

El II Congreso Continental de Teología abordará tres temáticas estrechamente vinculadas entre sí:
. Pueblo de Dios
. Neumatología
. Reforma de la Iglesia

La Iglesia latinoamericana, de la que también se nutrió el papa Francisco, ha visto surgir en su seno una nueva manera de ser Pueblo de Dios abierta al mundo (cfr. Concilio Vaticano II) y desde la opción por los pobres (cfr. Medellín). Una manera marcada por la profunda experiencia espiritual del seguimiento del Jesús histórico, la lectura comunitaria de la Biblia, la emergencia de las Comunidades Eclesiales de Base (CEB),el fuerte compromiso social y político de los laicos y las laicas, una vida religiosa inserta en medios populares, el horizonte abierto por los testigos mártires y el surgimiento de la teologíade la liberación. Se trata de una verdadera “eclesiogénesis”, conducida por el Espíritu, que necesita ser reflexionada más profundamente, a nivel teológico, y ante el imperativo de la “ecclesiasemperreformanda”.

Leia Mais:
Congresso Continental de Teologia em 2012

Semana Teológica no CEARP em 2015

A Faculdade da Arquidiocese de Ribeirão Preto (FARP), situada em Brodowski, SP, promove, de 1 a 3 de junho de 2015, a VI Semana Teológica, com o tema Sobre a Sagrada Liturgia (Sacrosanctum Concilium)

Dia 1
08h00: Abertura – Dom Moacir e Dom Devair
08h30: SC 50 anos depois (como aplicar em tempos líquidos?), com Valeriano dos Santos Costa, Professor da PUC-SP

Dia 2 
08h00: SC “Ars Celebrandi” – retorno às fontes, com Dom Armando Bucciol, Bispo de Livramento de Nossa Senhora (BA)
11h00: Mesa Redonda

Dia 3
08h00: Grupos de Trabalho

Informações e inscrições: farpo2012@gmail.com

SOTER 2015: Religião e Espaço Público

A SOTER – Sociedade de Teologia e Ciências da Religião – comunica que seu 28º Congresso Anual terá como tema Religião e Espaço Público: Cenários Contemporâneos e será realizado no campus Coração Eucarístico da PUC-Minas, em Belo Horizonte, de 14 a 17 de julho de 2015.

No ano em que a SOTER comemora seu 30º aniversário, este congresso objetiva recolocar em pauta, para debate e reflexão, a situação atual da religião no espaço público e sua influência nos diversos setores da sociedade e da cultura. Para aprofundar a discussão, partirá de cenários atuais, a saber: as relações entre religião e política, os fundamentalismos nas grandes tradições religiosas e suas influências sócio-culturais, a pluralidade de crenças nas sociedades modernas, o movimento dos novos crentes e das novas opções religiosas, o fenômeno dos sem-religião, bem como o desafio dos Estados Democráticos de Direito que vivem o paradoxo de serem laicos e, ao mesmo tempo, garantirem a liberdade religiosa.

Leia Mais:
Congressos e publicações da SOTER

SOTER 2000: Teologia na América Latina

Teologia na América Latina: Prospectivas. Artigo publicado na Ayrton’s Biblical Page em 2000.

Realizou-se em Belo Horizonte, nos dias 24-28 de julho de 2000, o Congresso da SOTER, Sociedade de Teologia e Ciências da Religião. O tema, neste ano de balanços, foi Teologia na América Latina: Prospectivas. Do Congresso, que contou, pela primeira vez, com a adesão de vários países da América Latina, participaram 234 teólogos, teólogas e cientistas da religião. Destes, 77 vieram da Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, México, Peru e Uruguai, além de convidados da Áustria, Canadá, Espanha, Estados Unidos e Itália.

Alguns nomes de destaque na Teologia Latino-Americana que se fizeram presentes: Leonardo Boff, Clodovis Boff, Gustavo Gutiérrez (Peru), José Comblin, João Batista Libânio, Antônio Moser, Benedito Ferraro, Marcelo Barros, Alberto Antoniazzi, Faustino Teixeira, Pablo Richard (Costa Rica), Ronaldo Muñoz (Chile), Sergio Silva Gatica (Chile), Alberto Parra (Colômbia), José Duque (Costa Rica) e tantos outros. Sem nos esquecermos da presença do Vice-Presidente da Sociedade Europeia de Teologia e do Secretário da Sociedade Católica de Teologia dos Estados Unidos, ou do polêmico teólogo italiano Giulio Girardi, nem do fato inédito da participação e filiação à SOTER de Dom Emanuel Messias de Oliveira, Mestre em Bíblia, [então] bispo da Diocese de Guanhães, MG [atualmente, em 2015, Dom Emanuel é bispo de Caratinga, MG].

Leia Mais:
Sobre minhas publicações [links para todos os artigos publicados]

Enciclopédia Digital: Theologica Latinoamericana

Theologica Latinoamericana. Enciclopédia Digital é uma iniciativa dos professores do Departamento de Teologia da FAJE, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Em sua origem está uma inquietação importante: o lugar ocupado pela mídia digital na atual sociedade do conhecimento e a ausência de uma produção teológica consistente, fiel à tradição teológica inaugurada na América Latina no período pós-conciliar, que responda ao desejo dos que querem aprofundar a fé cristã ou buscam informações sobre ela na rede. Essa preocupação está na origem das primeiras discussões feitas pelo corpo de professores de teologia da FAJE, que em 2013 elaborou um pré-projeto, o qual foi discutido com teólogos e teólogas da UNICAP, da PUC-Rio e do Instituto Humanitas Unisinos, e depois submetido aos reitores de suas respectivas instituições. Ao aceitarem ser parceiras na construção conceitual e teológica de Theologica Latinoamericana. Enciclopédia Digital, essas instituições… (continue a ler a História da enciclopédia).

Seguindo a ideia da rede, a Enciclopédia terá oito grandes eixos temáticos, que reagrupam os principais conteúdos da teologia cristã. Cada eixo veiculará inicialmente verbetes “matriciais”, que darão origem a outros verbetes aprofundados, a serem inseridos na medida em que o projeto for sendo executado.

Os oito eixos temáticos – veja Índice analítico – são:

  • Ética teológica
  • História da teologia e do cristianismo 
  • Liturgia e sacramentos
  • Mística e espiritualidade        
  • Teologia bíblica        
  • Teologia fundamental        
  • Teologia prática e pastoral       
  • Teologia sistemática

Na Teologia Bíblica leio na apresentação feita por Johan Konings:

Em primeira linha são abordados, nesta enciclopédia, os assuntos referentes à Bíblia do judaísmo, chamada na tradição cristã de Antigo Testamento, e os referentes à parte de origem cristã, o Novo Testamento. Estes artigos iluminam, sobretudo, os aspectos históricos, culturais e literários. Nesse contexto é tratada também a recepção judaica e cristã da Bíblia.


O modo de ler e interpretar a Bíblia é tratado no verbete Leitura e hermenêutica bíblicas. No sentido da leitura contextual da Bíblia, atenção especial é dada à Bíblia na América Latina. Também são tratados alguns assuntos emergentes, como a Bíblia na perspectiva da mulher e a Bíblia e as culturas. Outras perspectivas atuais da leitura bíblica serão integradas progressivamente a esta enciclopédia.


A Bíblia representa também uma tradição de orientação prática da vida para pessoas e comunidades. Esse aspecto é abordado no artigo sobre teologia e ética na Bíblia.


Artigos específicos são dedicados aos temas relacionados com a fé, como sejam os conceitos em torno da veracidade da Bíblia: revelação, inspiração e inerrância bíblicas, Bíblia e Ciências e Bíblia e Magistério; e, por outro lado, aos aspectos históricos e culturais, como sejam a formação e extensão do “cânon bíblico”, as línguas bíblicas, as versões bíblicas antigas e modernas.

Embora ainda no começo, já podem ser lidos, sobre Bíblia, os seguintes verbetes:

  • Leituras e hermenêutica – Cássio Murilo Dias da Silva, PUC RS
  • Ética e Teologia no Novo Testamento – Jaldemir Vitório, FAJE
  • A Bíblia na América Latina – Valmor da Silva, PUC GO
  • Recepção judaica e cristã da Bíblia – Aíla Pinheiro, FCF
  • Bíblia como Palavra de Deus – Leonardo Agostini Fernandes, PUC-Rio
  • Introdução ao Antigo Testamento – Cássio Murilo Dias da Silva, PUC RS
  • Ética e teologia no Antigo Testamento – Jaldemir Vitório, FAJE
  • Novo Testamento (NT) – Johan Konings, FAJE

Agradeço ao Cássio Murilo, que me enviou a informação sobre a enciclopédia.