A ocupação dos territórios palestinos por Israel

EUA desistem de tentar convencer Israel a paralisar construções em territórios palestinos

O governo norte-americano abandonou os esforços para convencer Israel a congelar as construções em assentamentos judaicos em territórios palestinos, segundo fontes da Casa Branca e do Departamento de Estado. A paralisação das obras é uma das exigências dos palestinos para retomar as negociações diretas de paz. No mês passado, Washington ofereceu a Israel um pacote de incentivos em troca de uma nova paralisação de 90 dias nas construções em assentamentos na Cisjordânia. Mas, segundo fonte do governo, os esforços para convencer Israel fracassaram. “Nós vínhamos buscando uma suspensão [nas construções] como forma de criar as condições para a retomada das negociações”, disse o porta-voz do Departamento de Estado, Philip Crowley. “Depois de esforços consideráveis, concluímos que isso não cria uma base sólida para trabalhar por nosso objetivo comum de um acordo [de paz]”, afirmou (…) Os assentamentos em territórios palestinos são considerados ilegais pela lei internacional, mas essa interpretação é contestada por Israel. O processo de paz deverá ser abordado pela secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, em um discurso na próxima sexta-feira (10/12).

Leia o texto completo.

Fonte: Ópera Mundi – 08/12/2010 – 10h05

Pois é. Sem comentários!

Leia Mais:
Brasil reconhece Estado palestino com fronteiras anteriores a 1967, diz Itamaraty

Assange, Kafka e Orwell

O texto publicado hoje, 8 de dezembro de 2010, por Idelber Avelar em seu blog O Biscoito Fino e a Massa é de proveitosa leitura. Recomendo:

Wikileaks: O 1º preso político global da internet e a Intifada eletrônica

O que Assange tem a ver com Kafka e Orwell?

Idelber explica:
Como em Kafka, o crime de Assange não é uma entidade com existência positiva, para a qual você possa apontar. Assange é um personagem que vem direto d’O Processo, romance no qual K. será sempre culpado por uma razão das mais simples: seu crime é não lembrar-se de qual foi seu crime. Essa é a fórmula genial que encontra Kafka para instalar a culpa de K. como inescapável: o processo se instala contra a memória.

E mais:
À semelhança do 1984 de Orwell, o caso Wikileaks gira em torno da vigilância global mas, como notou Umberto Eco num belo texto, ela foi transformada em rua de mão dupla. O Grande Irmão estatal o vigia, mas um geek com boas conexões nas embaixadas também pode vigiar o Grande Irmão. Essa vigilância em mão dupla é ao mesmo tempo uma demonstração do poder da internet e um lembrete amargo de quais são os seus limites.

WikiLeaks: algumas leituras

:: Sunday, 28th of November
16:07:46 Los secretos de la diplomacia de Estados Unidos, al descubierto – El País 28/11/2010
18:45:36 US embassy cables: global coverage. All the global coverage of the release of 250,000 leaked US diplomatic cables

:: Monday, 29th of November
10:29:41 Wikileaks: as operações anti-terror no Brasil. Em segredo, Brasil monitora e prende suspeitos – Luis Nassif Online 29/11/2010
10:35:40 A estratégia de divulgação da Wikileaks – Luis Nassif Online 29/11/2010
19:33:41 As carpideiras do regime militar: WikiLeaks, o golpe em Honduras e a mídia brasileira – Cynara Menezes: CartaCapital

:: Thursday, 2nd of December
10:04:47 Por dentro do WikiLeaks – Natália Viana: Ópera Mundi 30/11/2010 – 13h01

:: Friday, 3rd of December
14:51:28 Após veto dos EUA, o site WikiLeaks passa a usar domínios na Suíça e na Alemanha – Folha 03/12/2010

:: Saturday, 4th of December
10:07:01 Robert Fisk, do Independent, comenta os documentos publicados pelo WikiLeaks – Carta Maior 30/11/2010

:: Tuesday, 7th of December
14:07:09 Por dentro do Wikileaks 2: muito além do furo – Natália Viana: Ópera Mundi 07/12/2010
16:00:35 La verdad sobre el ‘Cablegate’ – El País 04/12/2010
16:40:11 `The truth will always win’ – Julian Assange writes – Media Diary Blog: The Australian 07/12/2010
16:42:45 O artigo de Julian Assange – Luis Nassif Online 07/12/2010 17h04
19:17:53 O cerco ao WikiLeaks – Antonio Luiz M. C. Costa: CartaCapital 07/12/2010 18h26

:: Wednesday, 8th of December
09:02:36 Piratas vingadores e espiões em diligência: o caso WikiLeaks – Umberto Eco: Presseurop
09:12:27 Natalia Viana, em parceria com CartaCapital: conteúdo do WikiLeaks em primeira mão
09:17:57 Assange, Kafka e Orwell
17:25:38 WikiLeaks US embassy cables: live updates – The Guardian
17:51:50 Sob intensas críticas, Twitter rechaça acusação de censura sobre caso WikiLeaks – Folha 08/12/2010 14h15
18:03:07 Anonymous: los enemigos de los enemigos de Wikileaks – Blog Trending Topics: El País 08/12/2010
21:19:31 Facebook e Twitter suspendem perfis de grupo que atacava sites antiWikiLeaks – Folha: 08/12/2010 21h11

:: Thursday, 9th of December
09:12:49 Wikileaks, vazamentos e uma nova diplomacia mundial – Rafael Tsavkko Garcia: Ópera Mundi 09/12/2010 09h07
13:08:43 Presidente presta solidariedade em público ao WikiLeaks – Blog do Planalto 09/12/2010 13h08
13:11:29 Lula presta solidariedade a criador do WikiLeaks – Marina Terra: Ópera Mundi 09/12/2010 13h00
13:19:44 Em vídeo: Lula manifesta solidariedade ao WikiLeaks – Blog do Miro 09/12/2010
13:28:19 Natalia Viana: em parceria com CartaCapital, conteúdo do WikiLeaks em primeira mão. Leia o blog
13:39:01 Brazilian President Lula speaks out in defence of Wikileaks – Blog do Planalto 09/12/2010 13h08
14:08:11 Lula, presidente de Brasil: la detención de Assange atenta contra la libertad de expresión – El País 09/12/2010
14:39:32 O pessoal do WikiLeaks está comemorando o apoio dado pelo presidente Lula a Assange – Natalia Viana: CartaCapital 09/12/2010
15:23:18 Lula declara apoio ao WikiLeaks! [English Version – Versione Italiana – Versión en Español] – Blog do Tsavkko – The Angry Brazilian 09/12/2010

Avalos responde a seus críticos

O debate sobre a relevância ou não dos estudos bíblicos e como eles deveriam ser feitos na atualidade dá mais um passo com um texto de Hector Avalos em The Bible and Interpretation:

Six Anti-Secularist Themes: Deconstructing Religionist Rhetorical Weaponry

Diz Avalos:

Here, I concentrate on the rhetorical weapons that are being deployed by religionist biblical scholars against efforts to reform the field of biblical studies so that it might function like all other fields in modern academia—a completely secular enterprise with methodological naturalism at its core (…) Contrary to the objections expressed by many of my opponents, I am trying to save biblical studies in public academia, but saving it requires a thorough reorientation and secularization. Faith-based approaches in biblical studies need to realize that their days in public academia are numbered if they don’t fully integrate with the approaches we find in the rest of the Humanities and Social Sciences.

Ou seja:
Avalos diz que aqui ele se concentra em rebater estudiosos defensores da manutenção do aspecto religioso (ou seria teológico?) nos estudos bíblicos e que lutam contra seus esforços para reestruturar o campo nos moldes dos campos de pesquisa das Ciências Humanas e Sociais na academia moderna. Em síntese: Avalos propõe uma urgente secularização dos estudos acadêmicos da Bíblia em escolas públicas, não-confessionais.

O leitor já deve ter percebido que, para além da retórica que parece colocar em confronto religião x secularização, trata-se de uma discussão sobre metodologia – possivelmente não só, mas principalmente. Metodologia que, é claro, sendo desenvolvida por pessoas concretas em contextos políticos e sociais diferentes, envolve e carrega consigo opções anteriores. As escolhas éticas precedem, queiramos ou não, o método. Em qualquer campo científico.

No meu entender, nenhum método é apolítico, assim como nenhum exegeta o é.

I argue that there is no apolitical method, just as there is no apolitical biblical scholar.