Os leitores brasileiros e os ebooks

Pessimistas ou realistas? Sei não. Acho que sou mais otimista do que os autores dos artigos abaixo. Mas vale a pena ler.

:: Tudo é vaidade – João Pereira Coutinho: Folha de S.Paulo 08/04/2014 [o texto pode ser lido também aqui]
Qual a pergunta mais idiota que é possível ouvir quando temos uma biblioteca generosa? Exato, leitor: “Você já leu tudo isso?” Engolimos em seco. Respiramos fundo. E depois explicamos, pela décima, centésima, milésima vez que uma biblioteca não é uma coleção de livros lidos. As bibliotecas são feitas de livros que lemos no passado, que consultamos no presente e que um dia, talvez, leremos no futuro. Ou que alguém lerá por nós. Mas existe uma situação mais constrangedora no mundo das bibliotecas: quando descobrimos que uma parte delas nem sequer são constituídas por livros. Aconteceu uma noite: fui convidado para um jantar em casa de um conhecido literato…

:: O Brasil não é o país do e-reader – Carlo Carrenho: Tipos Digitais: 13/04/2014 [o texto pode ser lido também aqui] Qual o mercado brasileiro potencial para e-readers dedicados? Em outras palavras, quantos Kindles, Kobos e outros leitores genéricos poderiam ser vendidos no Brasil? Acredito que o potencial do mercado brasileiro para estes aparelhos seja muito menor do que poderia parecer em um primeiro momento. Não que o consumidor brasileiro tenha um interesse limitado em livros digitais, claro que não. O que ocorre é que no Brasil há poucos “grandes leitores” – ou “heavy readers”, como se diz em inglês.

:: 3ª edição da Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil – Instituto Pró-Livro 2011

Amazon lança no Brasil novo Kindle Paperwhite

Amazon completa um ano no Brasil e lança novo leitor Kindle – Yuri Gonzaga: Folha de S. Paulo 12/12/2013

Após ter completado, na última sexta-feira (6), seu primeiro ano de operação no Brasil, a Amazon lançou por R$ 479 nesta quinta-feira (12) a segunda versão do Kindle Paperwhite, topo da sua linha de e-readers, leitores de livro eletrônico. A primeira versão do aparelho, que está sendo substituída hoje, chegou ao Brasil em março por R$ 479 na versão sem conectividade 3G –a única que será vendida, a princípio. É o mesmo preço pelo qual chegou seu antecessor, que também tem uma versão com internet, que continuará sendo vendida por R$ 699 (continua)

O lançamento nos Estados Unidos foi em setembro deste ano:

Amazon anuncia novo Kindle Paperwhite; a concorrência sofre –  Eduardo Mello: Revolução eBook 05/09/2013

A Amazon anunciou, ontem, em Seattle, a nova geração do ereader Kindle Paperwhite. Entre as novidades do aparelho, algumas atualizações de software que permitem novos tipos de marcação de página, além de atualizações na função dicionário (que agora também consultará a Wikipedia), recurso já presente há tempos no aplicativo iBooks, da concorrente Apple. Entre as atualizações do novo Kindle Paperwhite, a Amazon destaca maior contraste e rapidez, assim como uma tecnologia de tela de toque melhorada. Esta última mudança é muito bem-vinda, já que a primeira versão do Paperwhite apresentava problemas com a tela tátil (…)  Confira as especificações do novo Kindle (continua)

Como leremos em 2020?

A saída para o mercado editorial: tentativas, erros e aprendizados – Eber Freitas: Revolução eBook 27/06/2013

Como leremos em 2020? (…) Para responder à pergunta inicial, o pesquisador Sílvio Meira, fundador do C.E.S.A.R (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife) palestrou durante o 4º Congresso Internacional do Livro Digital, que ocorreu entre os dias 13 e 14 de junho [de 2013].


As possibilidades não deixaram muitas pessoas felizes. Após uma contextualização histórica – desde a conhecida revolução de Gutenberg até a leitura em modo “shuffle” [embaralhado, não linear, fora de ordem, aleatório] da era do Twitter -, Sílvio Meira aponta para conclusões incertas: “nesse tipo de contexto, nessas novas plataformas, qual o futuro dos livros? Livros, eu acho, vão ser fluxos. Fluxos como conteúdo aumentado, compartilhado em rede como serviço”. Essa consideração, no entanto, implica em uma ampla contextualização.


(…) “Antes de Gutenberg, a gente tem um sistema baseado em recreação/recriação, que é criativo, coletivo, contextual, instável, baseado na performance. Dentro ou exatamente no meio de Gutenberg, nós temos o estável, o canônico, o individual, o original, o autônomo, o universo da composição. Depois de Gutenberg a gente tem um conjunto de coisas que não tem exatamente nome”, afirma.


E o que representa esse conjunto de coisas ainda sem nome ou características difíceis de mapear? “A gente faz sempre, a gente faz coisas e remistura, a gente toma coisas emprestadas, a gente reformata, a gente se apropria. Estamos vendo um universo que, no futuro, talvez seja chamado de percomposichange – um universo de performance, composição e mudança simultânea”, descreve. Tudo isso, pouco necessário lembrar, é um tiro fatal na atual visão de copyright das editoras, livrarias, agentes e autores.


De acordo com Sílvio Meira, a leitura está se tornando cada vez mais fragmentada e menos canônica (…) O “Livro” é cada vez menos um produto final a ser entregue em uma embalagem e mais uma espécie de serviço com muitos outros valores e ferramentas agregados. E não é apenas isso: o livro, a partir de agora, deve ser visto como um elemento integrado à World Wide Web.


“A rede como um todo é uma plataforma de compatibilidade. É uma infraestrutura, um conjunto de serviços em cima dessa infraestrutura e um conjunto de aplicações em cima desse serviço. Livros fazem parte de um conjunto articulado de sistemas e, como conteúdo, dependem dessas plataformas de compatibilidade ao redor. A plataforma móvel, digital, conectada e programável é muito mais eficaz, muito mais leve, muito mais eficiente, muito mais barata do que a plataforma física”, explica Sílvio Meira.


“Isso vai mudar exatamente o que a gente vai entender como ‘Livro’ no futuro próximo. Escrita, propriedade do material, distribuição, leitura, replicação e preservação vão mudar porque a plataforma de compatibilidade já está mudando”, alerta.


A resposta para quem trabalha na indústria do livro é profética, mas não muito animadora. E pode ser resumida em uma sigla: TEA (tentativas, erros e aprendizado). Esqueça os acertos.

Até aqui o texto, ou melhor, trechos do texto, que precisa ser lido por inteiro.

Observo que o mais impressionante, para mim, não foi o texto e nem suas conclusões, mas sua rejeição quando proposto para discussão a um grupo de “intelectuais” acostumados, como todos nós, às tradicionais práticas de leitura e que refletiam sobre as dificuldades, nesta área, dos atuais estudantes.

Alguns dos presentes não apenas rejeitaram o texto: nem quiseram ouvir a conclusão. A exposição precisou ser interrompida, pois atingiu certezas e irritou uns poucos, que retrucaram ser esta uma especulação inútil.

E, acrescento: intelectuais que, por dever de ofício, falam todos os dias às novas gerações! Estamos assim tão desarvorados face à revolução digital?

O mundo dos ebooks está cada vez mais agitado

O mundo dos ebooks continua cada vez mais agitado. Aqui, apenas algumas indicações de leituras possíveis. Passei por elas nesta manhã. Podem interessar.

:: Livraria Saraiva estreia serviço de auto-publicação de eBooks – Eduardo Melo: Revolução eBook – 28/05/2013
Antes tarde do que nunca. A maior rede de livrarias brasileira colocou no ar – aparentemente na surdina – seu serviço de auto-publicação, que foi batizado pela Livraria Saraiva com o sugestivo nome de “Publique-se!”. O serviço da Saraiva permite que o autor envie seu material em formato Word, para ser transformado automaticamente em ebook e colocado à venda logo depois. Enquanto esta parte do serviço é gratuita…

:: Admiráveis Livros Novos – Roberto Tostes: Fazendo – 28/05/2013
O futuro das publicações digitais é um livro aberto que está sendo escrito a partir de agora. Escritores, leitores, editores e distribuidores tem agora a possibilidade de interferir e mudar seus papéis, traços de personagem e função na trama. É um enredo em veloz transformação. Todos participam mais e a limitação de cada papel está mais flexível. É como um jogo em que personagens podem evoluir e ganhar novos poderes ou serem obrigados a desbravar novos cenários. O desenrolar das ações está em aberto e as possibilidades de finais multiplicados…

:: Kindle Fire no Brasil, em junho – Eduardo Melo: Revolução eBook – 28/05/2013
Alguns dias atrás, a Amazon anunciou o início das vendas mundiais do Kindle Fire, o tablet da Amazon, para mais de 170 países, a partir de junho. Nenhuma palavra específica sobre o Brasil, mas sabe-se que…

:: Microsoft vai entrar pesado no mercado de eBooks – Eber Freitas: Revolução eBook – 27/05/2013
A Microsoft tem desenvolvido produtos e serviços à altura de seus concorrentes no mercado tecnológico em geral, mas está agindo ao melhor estilo mineiro no mundo dos eBooks: comendo pelas beiradas. Enquanto a Apple e a Amazon lutam por fatia de mercado e brigam na Justiça para garantir o melhor modelo de negócios, a companhia de Bill Gates fez uma oferta de US$ 1 bilhão pela Nook Media, deficitária unidade da Barnes & Noble…

:: O leitor e o escritor sem noção – Alex: EbookBR – 27/05/2013
É comum recebermos em nosso endereço de contato pedidos de autores independentes ou estabelecidos para divulgação ou resenha do seu livro aqui no Ebookbr, muitos até comentam que sites de resenhas por preconceito nem aceitam ebooks, alguns ficam até ofendidos com a audácia de enviarem um ebook auto-publicado para resenha, estão certos que aqui é o lugar ideal, pois favorecemos ebooks e temos mais simpatia ainda pelos autores independentes, mas peço que não confundam a inexistência de preconceito com a inexistência de conceito. Não é pelo motivo da pessoa ser um autor independente e ter a duras penas publicado seu ebook mérito suficiente para receber qualquer atenção, como qualquer livro é o conteúdo que importa, portanto…

:: O Livro Além da Mídia – Ednei Procópio: eBook Reader – 26/05/2013
Eu pretendo lançar meu novo livro sobre eBooks ainda em 2013. Meu próximo livro se chamará “O Livro Além da Mídia“. Para isso, a partir de outubro do ano passado, eu passei a  postar aqui neste nosso eBook Reader artigos. Cada artigo já continha os temas abordados no novo livro. Estes artigos também farão parte da obra (…)  Embora os aplicativos desenvolvidos para a leitura dos livros eletrônicos ganhem maior legibilidade e portabilidade em e-readers, tablets e smartphones, o livro eletrônico está livre para ser acessado e consumido em inúmeras possibilidades de telas que antigamente passou por suporte como  paredes das cavernas, tablets de argila, folhas de papiro, peles de animais e até pedaços de bambu; e hoje avançam para serem lidos em telas que se adaptam ao horário e local onde o leitor esteja apto e disponível para a experiência [diz o autor em Caçando mitos – O Livro Além da Mídia #11]…

:: Abril compra distribuidora Xeriph e livraria Gato Sabido – da Redação: Revolução eBook – 23/05/2013
Quinta-feira, 23/05, o Grupo Abril anunciou ao mercado a compra do controle da distribuidora Xeriph e da livraria Gato Sabido. A aquisição faz parte da estratégia da Abril de ampliar sua participação no mercado de conteúdo digital, para tablets, smartphones e computadores pessoais. Segundo a nota, atualmente a Xeriph distribui livros de 240 editoras, para mais de 30 canais de venda. Na prática, porém…

:: 4º Congresso Internacional CBL do Livro Digital – São Paulo: 13-14 de junho de 2013
Com o tema Livro Além do Livro, o 4° Congresso Internacional CBL do Livro Digital será realizado nos dias 13 e 14 de junho de 2013 (5ª e 6ª feira). O local é a Fecomercio de Eventos, São Paulo. Entre os assuntos que serão abordados, estão: comercialização, pirataria, bibliotecas, soluções para didáticos e acadêmicos, revisores o que muda?, social commerce. As novidades para esta edição ficam por conta da transmissão ao vivo, possibilitando a participação maciça de congressistas em diferentes estados brasileiros e países. Além disso, a Escola do Livro realizará minicursos e oficinas paralelas com a temática do congresso. Os seguintes temas serão discutidos…

Paulus começa a vender livros digitais

Confira a página especial sobre ebooks da Paulus.

Lá está dizendo que a Paulus vai trabalhar em parceria com a Amazon, Iba, Livraria Cultura e Saraiva.

Mas, por enquanto, há poucos dados. Quando souber mais, direi!

E, para incentivar, há 4 livros gratuitos na página. Formato epub.

Quem usa o Kindle, que não suporta epub, pode, além de outras opções, é claro, usar o Calibre. Confira aqui (no item “Domínio Público”).

O primeiro e-reader a gente nunca esquece

Há pouco mais de um ano, 70% dos brasileiros nunca tinham ouvido falar em livros digitais. O mercado digital muda, porém, de maneira veloz. É um caminho sem volta.

Estou gostando demais das novas possibilidades de leitura oferecidas por meu Kindle, adquirido recentemente.

Estou apreciando, sem custo algum, textos clássicos das literaturas alemã, inglesa, norte-americana, francesa, árabe, escandinava antiga, latina, irlandesa, italiana etc. E a maioria nas línguas originais. Textos que eu lera, muitos deles, a partir de meus 11 anos de idade – quando tive acesso a uma boa biblioteca – em tradução apenas.

Pois acabei de ler este artigo na CartaCapital, de 11.03.2013 08:42, escrito por Samantha Maia: Meu primeiro e-book.

Que começa assim:

Há pouco mais de um ano, 70% dos brasileiros nunca tinham ouvido falar em livros digitais. A experiência com essa leitura, em geral de obras disponibilizadas em PDF gratuitamente na internet, era considerada uma opção de segunda linha, incapaz de superar o papel. O mercado digital muda, porém, de maneira veloz. A aposta recente das grandes empresas vendedoras de e-books no Brasil – Amazon, Apple e Google – e a movimentação das maiores redes de livrarias brasileiras – Livraria Cultura e Saraiva – para não ficarem atrás no negócio marcam a entrada de vez do novo produto no País. “É um caminho sem volta”, diz Hubert Alqueres, da Câmara Brasileira do Livro (CBL), representante das editoras. A Apple iniciou as vendas de e-books brasileiros em outubro de 2012, por meio da iTunes. Em dezembro foi a vez do Google, com o Google play, e da Amazon, com seu site brasileiro. Alex Szapiro, vice-presidente do Kindle da Amazon do Brasil, conta que a empresa estudou o mercado durante um ano e meio. “Viemos pelo potencial brasileiro de ser um dos maiores mercados do mundo.” A Livraria Cultura e a Saraiva já comercializavam livros digitais desde 2010, mas o volume de obras disponíveis equivalia a 10% do que existe hoje. O acervo continua pequeno comparado a mercados maduros. São 15 mil títulos em português, diante de 1 milhão de obras nos Estados Unidos, onde as vendas de e-books começaram nos primórdio dos anos 2000. No mercado de livro impresso, 58 mil títulos foram lançados apenas em 2011. Os investimentos das editoras para a conversão dos arquivos devem, no entanto, impulsionar rapidamente o número de obras brasileiras disponíveis em formato digital. Uma novidade importante foi o governo federal publicar, há duas semanas, um edital para a compra de 80 milhões de livros digitais didáticos, com entrega prevista a partir de 2015. A iniciativa casa com a aquisição recente de 600 mil tablets para professores. Pelo fato de 30% do faturamento do setor editorial brasileiro vir de encomendas governamentais, a primeira compra pública de e-books é um passo decisivo para organizar esse mercado e derrubar o custo de produção. A difusão dos tablets e dos smartphones no Brasil foi importante para aumentar a atratividade dos e-books com o ganho da mobilidade. Em 2012, cerca de 3 milhões de tablets foram vendidos no País. O livro eletrônico tem, porém, um instrumento próprio que ainda não é comum entre os brasileiros: o e-reader, ou leitor digital. São aparelhos leves, com menos de 200 gramas, dimensão em média de 6 polegadas e tela sem brilho, que cansa menos a vista. Custam de 300 a 400 reais, têm memória para armazenar mais de mil livros e bateria que dura até 30 dias. É em torno de tais dispositivos que está centrada a disputa no mercado local.

Mais ebooks gratuitos para Kindle e outros leitores

Kindle

:: Amazon do Brasil: Milhares de livros gratuitos – mais de 50 mil -, de vários gêneros e línguas, para Kindle.

:: Biblioteca Digital Curt Nimuendajú: Coletânea digital de artigos e livros raros sobre línguas e culturas indígenas sul-americanas. Iniciativa da rede Etnolinguistica.Org. Textos para download em pdf.

:: Bibliothèque numérique romande: Ebooks gratuitos de literatura, em francês, da Suíça Romanda (= Suíça francesa ou parte francófona da Suíça) e também de regiões vizinhas da França, de outras partes da Suíça ou de outros lugares. Textos em vários formatos, como epub, pdf, mobipocket, doc, odt.

:: Bücher kostenlos – legal – gratis ebooks – free books: Do site Die Perlen des Internets, em alemão, vários endereços para download de livros digitais gratuitos.

:: Canal do Ensino: no ar desde janeiro de 2012, o portal é focado em compartilhar notícias sobre educação e ensino, disponibilizando, entre outras coisas, livros de domínio público, sobre vários assuntos, em formato pdf.

:: Domínio Público: Portal do Ministério da Educação. Obras de vários países. Em pdf e html. Para converter um texto de pdf para mobi (Kindle) use o calibre – visite também o site do programa e veja ainda um tutorial aqui – ou outra ferramenta gratuita.

:: Ebooks libres et gratuits: Ebooks em francês. De vários países. Formatos: mobipocket – pdf – doc – odt – html – epub

:: Ebook Search Engine: Motor de busca de ebooks, gratuitos ou não, e de outros textos em pdf.

:: Feedbooks: Ebooks de vários países em formato epub, pdf e mobi. Há uma seção de livros de Domínio Público, quer dizer, gratuitos. O projeto é de origem francesa, com sede em Paris.

:: JustFreeBooks: Motor de busca – search engine – de ebooks gratuitos. Pesquisa em cerca de 700 sites indexados. Página em inglês, francês e espanhol.

:: Liber Liber: Ebooks gratuitos em italiano em pdf, odt, txt. Encontrei aqui, por exemplo, preciosas fábulas italianas em dialeto.

:: Loyal Books: Free Public Domain Audiobooks & eBook Downloads –  Cerca de 7 mil audiobooks em formato mp3 e ebooks em várias línguas para Kindle, Android e iPhone.

:: Manybooks: Livros, em várias línguas, que podem ser convertidos para duas dezenas de formatos antes de serem baixados. O azw e o mobi, que funcionam com o Kindle, estão disponíveis.

:: Open Culture: 800 Free eBooks for iPad, Kindle & Other Devices – Mais de 800 livros digitais gratuitos, clássicos e em inglês, em sua maioria, para Kindle e outros leitores. Dan Colman, da Stanford University, Califórnia, é o editor chefe.

:: Planet eBook: Livros de literatura clássica, muito bons, todos em inglês, em pdf.

:: Projecto Adamastor: Biblioteca digital que disponibiliza obras literárias portuguesas em formato epub e de forma gratuita. Oferece também uma boa lista de sites para livros digitais gratuitos.

:: Projeto Gutenberg: O Projeto Gutenberg oferece atualmente mais de 50.000 ebooks gratuitos para download. Vários formatos, incluindo o mobi para Kindle. Pode ser acessado em inglês, alemão, francês e português. Veja também a lista de projetos afiliados em Partners, Affiliates and Resources. Os projetos afiliados são organizações que partilham dos mesmos ideais e trazem a marca Project Gutenberg. Em geral, têm um enfoque nacional ou linguístico particular, como o Project Gutenberg Australia ou o Projekt Runeberg.

Gerenciador de ebooks

:: calibre: [Convertor And LIBRary for Ebooks – pronúncia britânica: calíber – cf. sobre o nome aqui]  é um gerenciador gratuito, de código aberto, de ebooks, com um grande número de recursos, como organização, edição, conversão de formatos, sincronização do computador com e-readers e outros dispositivos portáteis, como smartphones e tablets. Compatível com Windows XP/Vista/7/8/10, Mac e Linux. Em várias línguas, também em português. Veja também um tutorial, em português, aqui e avaliações aqui. Por Kovid Goyal e equipe.

Miscelânea

Tropecei também em certo número de sites que não quero incluir diretamente na categoria de ebooks – gratuitos ou não – pois contêm um material variado. Alguns são excelentes textos, mas apenas para leitura online. A maioria é de domínio público, embora alguns não sejam assim tão gratuitos. Há ainda outros, gratuitos, com “todos os direitos não reservados”… Uns estão nas línguas originais, outros são  – bem ou mal – traduzidos… Enfim, são textos em grego clássico, latim, alemão, inglês, italiano, português, russo e algumas outras línguas.


:: 13 bibliotecas digitais gratuitas

:: 22 Best Places to Get Free Kindle Books

:: 30 sites para baixar livros grátis em inglês

:: Acervo Digital

:: Aesopica: Aesop’s Fables in English, Latin & Greek

:: Bestiaria Latina Blog

:: Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin – USP

:: Biblioteca Digital Camões

:: Biblioteca Digital de Literatura de Países Lusófonos

:: Bibliothèque Russe et Slave

:: Christian Classics Ethereal Library: Early Church Fathers

:: Kostenlose eBooks

:: La Bibliothèque électronique du Québec

:: Le Livros

:: Library Genesis

:: Libri eBooks PDF

:: Links na Ayrton’s Biblical Page > Editoras

:: Lit2Go

:: Marx/Engels Collected Works (MECW)

:: Marxist Internet Archive eBook Collection

:: Nos livres: catalogue de livres électroniques du domaine public francophone

:: Sites para obter audiobooks – gratuitos ou não

:: The Classics Page

:: The Latin Library

:: Universia

:: Vorleser.net 

Leia Mais:
E-Books gratuitos para Kindle
Download de livros de Bíblia no Projeto ICI da SBL  – Centenas de livros gratuitos em pdf, que, eventualmente, podem ser convertidos para outros formatos compatíveis com leitores digitais que não formatam bem o pdf, como é o caso do Kindle.

E-Books gratuitos para Kindle

During my looks around the web, I often run into people looking for free books for their Kindle device and that is why I decided to put up this separate page for free Kindle ebooks, which I believe is the most comprehensive guide for free Kindle ebooks on the web.

Best Free Online Books For Kindle

No site Gizmo’s Freeware. Atualizado em 25.11.2020. Por site.editor.

E não se esqueça: há ebooks gratuitos na Amazon do Brasil.

Amazon lança site em português

Amazon no Brasil: empresa lança site em português e Kindle chega em breve

O site da Amazon do Brasil entrou no ar à meia-noite desta quinta-feira (6) e deu início às atividades no nosso país. Em seu catálogo inicial, o consumidor poderá encontrar livros digitais e, em breve, o famoso leitor Kindle. A Loja Kindle Brasil oferece mais de 1,4 milhão de eBooks, agora disponíveis aos consumidores brasileiros com preços em reais (R$), incluindo mais de 13 mil eBooks em português…

Leia a notícia completa.

Fonte: Pedro Cardoso: TechTudo – 06/12/2012 00h42

 

Os clientes da Amazon.com residentes no Brasil podem migrar sua conta do Kindle para a Amazon.com.br e, assim, ficarem aptos a comprar conteúdo do Kindle disponível na Amazon.com.br. Esses clientes vão poder continuar a fazer compras de varejo na Amazon.com, mas todas as compras de conteúdo para o Kindle serão feitas na Amazon.com.br.

:: Se eu migrar, poderei comprar produtos físicos na Amazon.com?
Sim. Você pode usar seu nome de usuário e senha da Amazon.com.br para acessar a Amazon.com e comprar eletrônicos, livros, cosméticos, roupas e muito mais. Para fazer compras na Amazon.com, você precisará de um cartão de crédito internacional. Fazer compras de produtos físicos fora do Brasil significa que seus pedidos podem estar sujeitos a despesas com frete international, impostos e taxas de cartões de crédito internacionais. Esses custos se aplicam a contas tanto da Amazon.com quanto da Amazon.com.br quando o cliente é residente no Brasil e faz compras no exterior.

:: É preciso ter duas contas, uma na Amazon.com e outra na Amazon.com.br?
Você não precisa ter duas contas na Amazon. Você pode continuar a utilizar os serviços da Amazon.com depois de migrar a sua conta do Kindle para a Amazon.com.br, então é desnecessário criar uma nova conta.

:: Se eu mudar de ideia, vou poder migrar de volta para a Amazon.com?
Você pode migrar sua conta de volta para Amazon.com na hora que quiser. Veja abaixo como proceder.

:: Decidi migrar minha conta da Amazon para a Amazon.com.br. O que eu tenho que fazer?
Se você é um cliente da Amazon.com elegível a migrar para a Amazon.com.br, siga estes passos (continua)

:: Quero migrar minha conta de volta para a Amazon.com. O que eu tenho que fazer?
Aqui está o passo a passo para migrar a conta de volta para a Amazon.com mesmo que você não tenha um endereço americano (continua)

Estes são trechos da Ajuda da Amazon.com.br

Editoras brasileiras fecham acordo com Amazon

Editoras brasileiras fecham acordo com Amazon para venda de e-books

Editoras brasileiras fecharam acordo com a Amazon para a venda de seus livros digitais no país. A varejista americana, que estrutura sua operação no Brasil, assinou contrato com Companhia das Letras, Globo Livros, Ediouro e DLD – responsável pelos livros digitais da Objetiva, Record, Rocco, Planeta, Sextante, LPM e Novo Conceito. O fim das negociações acelera a chegada da Amazon ao mercado brasileiro. 


DLD e Globo Livros também fecharam acordo com o Google. Ambas estimam que Amazon e a loja de livros do Google estreiem no Brasil em dezembro. A Companhia das Letras apenas afirmou que está em negociações bem avançadas com o Google, mas não prevê a data de lançamento dos serviços no Brasil.

Leia o texto completo.

Fonte: G1: Daniela Braun e Laura Brentano – 30/11/2012 16h36. Atualizado em 30/11/2012 16h41

Leia Mais:
Amazon no Brasil antes do Natal