Profecia: chave para a compreensão do presente

Atualizado em

Em 2010 escrevi sobre o fazer teológico: Uma Teologia que não aborda os problemas de sua época não serve para nada.

O mesmo vale para a profecia.

 

A profecia bíblica não é simplesmente uma questão de conhecimento orientado para o futuro, mas é, em grande parte, uma questão de conhecimento orientado para o presente.

A profecia é concebida como chave para a compreensão do presente, não como especulação sobre o que há de vir, mesmo que esse modo de pensar tenha recebido atenção na tradição bíblica e pós-bíblica.

Assim, até retratos ousados de predições proféticas (Vorhersagen) são, em última instância, proclamações (Hervorsagen).

Na profecia bíblica, prognóstico e pós-diagnóstico andam de mãos dadas. Essa simbiose mostra que a profecia bíblica é mais racional, orientada para o presente e retrospectiva do que as pessoas, às vezes, querem aceitar.

 

Prophecy in the Bible is not simply a matter of future-oriented knowledge, but to a great degree is a matter of present-oriented knowledge. It is conceived as key for understanding the present, not as speculation about that which might come, even though this way of thinking received attention in biblical and post-biblical tradition. Accordingly, even bold portrayals of prophetic predictions (Vorhersagen) are themselves ultimately pronouncements (Hervorsagen). In biblical prophecy, prognosis and postgnosis go hand in hand. This symbiosis shows that biblical prophecy is more rational, present-oriented, and retrospective than people have at times been prepared to assume (p. 120).

Parágrafo final de SCHMID, K. Prognosis and Postgnosis in Biblical Prophecy. Scandinavian Journal of the Old Testament, vol. 32, n. 1, p. 106-120, 2018.

Konrad Schmid é professor de Bíblia Hebraica e Judaísmo Antigo na Universidade de Zurique, Suíça.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário