O Vaticano II aos 50

No dia 25 de janeiro de 1959, João XXIII anunciou a realização de um Concílio Ecumênico, o Concílio Vaticano II, que começou em 11 de outubro de 1962 e terminou em 08 de dezembro de 1965.

A Revista Internacional de Teologia Concilium foi fundada em 1965 pelos teólogos Y. Congar, H. Küng, J. B. Metz, K. Rahner e E. Schillebeeckx.

Esta revista – iniciada por estes maiores teólogos europeus do século XX – agrupou aos poucos em torno de si teólogos de renome do mundo inteiro. Hoje a revista é elaborada por teólogos europeus, latino-americanos, asiáticos, americanos e africanos. Os números são publicados simultaneamente em 7 línguas: francês, inglês, italiano, alemão, holandês, espanhol e português.

O Concílio Vaticano II abriu a Igreja Católica para o diálogo com o mundo. A revista Concilium foi fundada para manter o “espírito do Concílio” e dar continuidade a este diálogo. Assim sendo, os números da revista tratam sempre de temas relevantes para a teologia – muitas vezes polêmicos – em diálogo com a sociedade.

Acabo de receber o fascículo 346 – 2012/3 da Revista Concilium. Tem 151 páginas. Seu tema: Começa o Vaticano II: 50 anos após.

Assinam o editorial: Silvia Scatena, Dennis Gira, Jon Sobrino e Maria Clara Bingemer.

Escrevem, neste número: Peter Hünermann (Alemanha), Alberto Melloni (Itália), Giuseppe Ruggieri (Itália), John W. O’Malley (EUA), Christoph Théobald (França), Gérard Siegwalt (França), Jon Sobrino (El Salvador), Maria Clara Lucchetti Bingemer (Brasil), Agbonkhianmeghe E. Orobator (Quênia), Mary E. Hines (EUA), José Oscar Beozzo (Brasil), Felix Wilfred (Índia), Martin Maier (Alemanha) e Andrés Torres Queiruga (Espanha).

Leia Mais:
Alguns livros e artigos sobre o Vaticano II

Igreja, Cultura e Sociedade na IHU On-Line

Igreja, Cultura e Sociedade é o tema de capa da revista IHU On-Line, n. 403, de 24.09.2012

De 2 a 5 de outubro, o Instituto Humanitas Unisinos – IHU promove o XIII Simpósio Internacional IHU: Igreja, cultura e sociedade. A semântica do Mistério da Igreja no contexto das novas gramáticas da civilização tecnocientífica. No 50º aniversário do início do Concílio Vaticano II, a Unisinos debate as várias formas e possibilidades de interlocução da Igreja com a sociedade e a cultura contemporânea. A revista IHU On-Line desta semana subsidia a discussão do tema central do evento com a participação de pesquisadores/as de várias áreas do conhecimento.

As entrevistas:

  • Paul Valadier: “A Igreja Católica só terá credibilidade se admitir em seu seio o pluralismo”
  • George Coyne: O ocaso de um Deus newtoniano
  • Marcelo Gleiser: O perigo do obscurantismo e da prepotência
  • Peter C. Phan: “Ser religioso é ser inter-religioso”
  • Mário de França Miranda: “A Igreja muda para poder continuar sendo Igreja”
  • Roger Haight: “A Igreja institucional permanece escandalosamente inalterada”
  • Mary Ann Hinsdale: Mulheres teólogas: líderes em quase todas as áreas atuais da teologia
  • Manuel Hurtado: “Narrar o Jesus dos evangelhos é narrar como Deus acontece no meio de nós”
  • Yara Caznok: Beethoven: modernidade e ousadia nas semânticas do Mistério na música
  • Massimo Pampaloni: O cinema como lugar de possibilidade de expressão do Mistério
  • Joe Marçal: As semânticas do mistério no cinema
  • Antonio Spadaro: A compatibilidade da fé à luz da lógica da rede
  • Getúlio Antônio Bertelli: O silêncio de Deus e o seu sofrimento junto dos inocentes
  • Lúcia Pedrosa de Pádua: Teresa de Ávila, mulher “eminentemente humana e toda de Deus”
  • Luiz Carlos Susin: A semântica do sacrifício na obra da salvação