História de Israel 3

Páginas 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 | 32 | 33 | 34

1. Noções de geografia do antigo Oriente Médio

1.1. O crescente fértil

Se partirmos do Golfo Pérsico e traçarmos uma meia-lua, passando pelas nascentes dos rios Tigre e Eufrates, colocando a outra ponta na foz do Nilo, no Egito, teremos uma região bastante fértil, onde se desenrolaram os acontecimentos narrados na Bíblia. É a chamada “meia-lua fértil” ou “crescente fértil”, dentro do qual está também a Palestina.

O crescente fértilEsta faixa de terra é regada por importantes rios, que condicionavam a vida do oriental antigo. Foram os rios que determinaram o estabelecimento da agricultura, da sedentarização e das rotas comerciais por onde passavam as caravanas que iam desde a Mesopotâmia até o Egito ou a Arábia.

A região é habitada especialmente por semitas e hamitas, de cor predominantemente branca, que formam vários povos, como acádios, amoritas, hebreus, árabes, cananeus, fenícios e muitos outros, que são semitas e os habitantes antigos do Egito, da Abissínia e do Magrebe – compreendendo este último o Marrocos, a Argélia e a Tunísia atuais – que são hamitas.

As línguas semíticas constituem um ramo da grande família das línguas afro-asiáticas. Nos três quadros a seguir pode-se ver um panorama simplificado das principais línguas semíticas.

As línguas semíticas


As línguas semíticas: o siro-palestinense

 

 

 

 

 


As línguas semíticas: o cananeu

 

 

 

 

  Página 4

Print Friendly, PDF & Email